Bashar – AJA! As Ações Necessárias para Criar a Realidade que Preferir

Eu continuo aprendendo muito com Bashar, e continuo compartilhando o que aprendo com você, pois é minha paixão.

Nesta segunda “aula” (sequência da primeira, que é Download), Bashar nos convida à AÇÃO!

Aja agora! Crie a realidade, a existência que você deseja!

Como fazer isso? Ah,  vamos já aprender…

Bem, Bashar retoma o que foi dito na “aula” sobre download — “baixar” os pensamentos da Mente Superior para a mente física — pois existe conexão entre a ideia de “download” e de “agir”.

Na aula anterior, Bashar falou sobre a ideia de comunhão entre a Mente Superior, como sendo  “baixada”  para o cérebro físico que, por sua vez, a transmite informação para a mente física. E nos foi lembrado que a Mente Superior “concebe”, o cérebro “recebe” e a mente física “percebe”. E Bashar também falou sobre o mecanismo pelo qual isso acontece, que envolve a Glândula Pineal e os transmissores neuroquímicos  que ela produz, de forma a facilitar a conexão entre a Mente Superior Não-Física através do cérebro físico para dentro da “construção da personalidade”.

O motivo da revisão do conceito de download , ou seja, de que  toda a informação que vem através do conduíte da imaginação ou inspiração está em comunhão com a Mente Superior é para explicitar a ideia de que se trata de um processo composto por 2 partes: “baixar” as informações (download)  é a primeira parte, e a “agir” é a segunda parte.

Fazendo mais uma vez uma analogia com a ideia de “eletricidade” no sentido de que se estivermos recebendo informação ou inspiração , se não as deixarmos fluir através de nós e aplicá-las através da ação física em nossa realidade  física, não haverá  objetivo algum em continuarmos  “baixando”  informações. Se não as deixamos fluir através de nós, há um “curto-circuito” e não é mais possível aplicá-las à realidade e consequentemente ao  “baixarmos” as informações, elas podem simplesmente ficar ali dentro de nós, “preparadas” dentro de nós, mas o ato de  “baixá-las” parece cessar-se ali, uma vez que não há razão para buscarmos mais informação se não foi usado ainda o que recebemos.

Para Bashar, é crucial que entendamos que, para realmente usarmos as informações e dessa forma permitirmos que venham mais informação, temos de “agir” — isso é muito importante em nossa realidade física. E obviamente, quando Bashar fala em “ação”, ele se refere à ideia de “agir” em relação àquilo que mais nos animar, pois o”entusiasmo”  é a tradução física da energia vibratória que representa nosso verdadeiro EU.

Obviamente, existem muitas maneiras de “agir”…Por exemplo, se estivermos experienciando algum grau de dificuldade em manifestar o que preferimos, Bashar propõe que sejam discutidos os termos específicos — quais ações são necessárias para nos soltarmos mais, desbloquearmo-nos mais e permitir que a energia ou que a informação flua e possa criar um efeito, uma manifestação em nossa realidade.

Bashar procura nos lembrar mais uma vez  a base para a a “ação”. Assim, a ideia que em nosso planeta foi rotulada como “o segredo” foi retomada e explicada por Bashar nessa “aula” como “o segredo por trás do segredo”. É mesmo sempre bom e maravilhoso sentirmos paixão por alguma coisa, mas devemos sentir “paixão” por “sentir paixão” de modo a realmente prosseguirmos. As pessoas dizem que estão agindo de acordo com suas “paixões”, mas desistem muito facilmente quando as coisas não acontecem do jeito que esperam. A questão é– eis o “segredo por trás do segredo”– se não estivermos apaixonados pelo sentimento de  estarmos apaixonados, então a ideia de “paixão” não se sustenta. Pois essa ideia é que, na verdade, as coisas pelas quais nós nos apaixonamos, nunca desistimos delas, mas procuramos cada jeito, cada avenida existente que dê passagem à nossa paixão, toda forma que podemos para perseguir nossa ideia.

No entanto  a “ação” existe no contexto da compreensão de que ela se dá sem nenhuma expectativa. Nós podemos até ter uma certa esperança de que ela traga o que precisamos ou o que queremos e isso até vai aumentar,  vai acelerar e expandir nossa alegria, nossa cratividade e nossa paixão. Porém a expectativa se refere à forma específica pela qual nós podemos “visualizar” uma coisa se realizando. A questão é que a nossa mente física não tem a capacidade de saber exatamente como uma coisa poderá se manifestar, porém ela tem a capacidade de “visualizar”  uma manifestação simbólica — através dos “olhos” de nossa mente — que representaria uma ideia, uma realidade particular que podemos preferir.

Tradução e comentários meus (Flávia Criss), Jan/2010.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s