Bashar — As 4 Leis da Criação

Vídeo (abaixo) muitíssimo interessante, na platéia um jovem pergunta sobre a possibilidade de Bashar, sendo de outra dimensão, viajar para outras “realidades”, o que ele prontamente responde “Sim, fui agora, fui de novo, fui agora,agora, agora, agora, agora…”

Todas as viagens instantâneas que Bashar demonstra realizar em segundos dirigem-se às realidades paralelas em seu total, ou seja, ele explica que somos arrastados para qualquer realidade paralela que seja representativa da vibração que desprendemos — o que oferecemos é o que recebemos–é a terceira Lei da Criação.

Existem apenas quatro Leis da Criação, e essa, explica Bashar, é a terceira Lei.

As Leis da Criação, de acordo com Bashar, são as seguintes:

Número 1: você existe; não pode fazer nada para mudar isso: você existe, e em alguma forma, sempre existirá;

Número 2: o Todo é o Um, o Um é o Todo; não pode mudar isso.

Número 3: o que você oferecer, é o que terá de volta; não pode mudar isso.

Número 4: a mudança é a única coisa que é constante, com exceção das prévias  3 Leis.

E é só isso. Cada realidade, cada experiência em cada dimensão em qualquer lugar em qualquer tempo é alguma forma de configuração daquelas 4 Leis.

Bashar procura  lembrar  a cada um que nós  somos a nossa própria razão pela qual escolhemos estar na Terra.

É uma aventura em que podemos nos permitir engrandecer cada aspecto de nosso ser quando estivermos acostumados com  esse esclarecimento.

Devemos nos lembrar que quando as coisas nos parecerem as mais escuras, quando as coisas parecerem em baixa, quando as coisas parecerem lá fora como sendo as mais pesadas para nós, se realmente desejarmos uma “iluminação” nessa hora, por favor, vamos nos iluminar!

Iluminem-se! É o que nos diz Bashar, para que iluminemo-nos dentro de nós! Deixemos para trás os julgamentos. Não precisamos da bagagem de mais ninguém nessa vida. Viemos com tudo o que necessitamos levar conosco. Qualquer outra bagagem que alguém pensar que teremos que carregar em nossa vida, não precisamos dela. Vamos largá-la, sacudir as mãos físicas e espirituais e começar a andar mais aprumados, mais altos e mais leves na Terra. Assim, podemos acelerar bastante, quando não temos o peso (que nos puxe para baixo) das coisas que não têm nada a ver conosco.

Quando somos mais nós mesmos,  somos mais capazes de ajudar qualquer pessoa que também escolha ser ela mesma, pois elas verão, pelo nosso exemplo, aquilo que também poderão ser — não que DEVAM escolher isso — mas pelo menos oferecemos a elas uma escolha, por escolhermos o amor, a alegria e o excitamento para nossa vida. E isso funciona. Não há nada na Criação que contradiga as escolhas que fazemos e nas quais acreditamos fortemente como sendo nossa preferência, não há mesmo NADA na Criação que contradiga as escolhas que fazemos.

Não há interrupção alguma em nossa vida. Todas as coisas que acontecem estão lá pela razão que cada um escolheu, para as usarmos como desejarmos, da forma como preferirmos, de modo que possam ser vistas, sentidas e experienciadas de maneira mais enriquecedora. E as sentiremos, ouviremos, veremos, provaremos, cheiraremos, tocaremos, todas as coisas  irão se entrançando nesse estado de ser .

Sejamos este “estado de ser” porque podemos, não porque precisamos de outras razões para abraçarmos isso.

Vamos nos tornar quem somos, porque É O QUE SOMOS– e essa é a razão suficiente aos olhos da Criação. Não temos que justificar nossa existência  pois se não merecêssemos existir, acredite, não existiríamos.

Mas nós existimos. Então aos olhos da Criação é necessário, é importante que sejamos parte de tudo o que existe.

Bashar enfatiza muito isso: Sem você — sem cada um de nós , sem cada um dos seres da Criação– sem NÓS TODOS tudo o que existe não seria TUDO o que existe.

Façamos a nossa parte no TUDO que existe de todas as maneiras que desejarmos ser: esse é o nosso DIREITO INATO; esse é o DIREITO DE NOSSA ALMA.

Bashar estende a nós sua apreciação mais profunda por  permitirmos essa transmissão e por compartilhá-la conosco,  agradece profundamente o “presente” que lhe demos ao permitirmos que ele presencie a manifestação incomparável da Criação que escolhemos ser e por abrir os olhos dele para esses vários modos pelos quais a Criação tem  se manifestado.

Ele agradece efusivamente e deseja-nos o maior divertimento e excitação hoje!

Tradução e comentários meus (Flávia Criss), Jan/2010.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s