Supere a Luta pela sobrevivência

Se encontras-te em uma etapa de refluxo, em que sai mais dinheiro do que entra, não sintas em pânico. Não percas a confiança em ti mesmo nem aches que tens fracassado em modo algum. O desafio das etapas de refluxo consiste em seguir crendo em tua futura prosperidade. Todo o que há na terra é cíclico e todas as fases são transitorias. Cada refluxo que se produza, terá um fluxo que seguir-lhe-á.

Se teus rendimentos experimentam uma queda breve ou prolongada, recorda que se trata de algo transitorio e te concentra em tudo o que esta experiência te ensina. Raras são as empresas que não atravessam altos e baixos na corrente de vendas devido aos ciclos econômicos naturais. Na medida em que atinjas níveis cada vez mais altos de perfeição na manifestação, serás capaz de atrair para ti o que precisas no momento em que o precisar, te vendo menos afetado por estes ciclos naturais.

Utiliza os períodos de refluxo para aclarar-te mais as ideias a respeito do dinheiro. Continua magnetizando e pergunta-te “Quais são as vantagens desta situação?” Sempre existe uma razão superior das mudanças do fluxo. Já que é possível que disponhas de mais tempo livre ao longo deste ciclo, o emprega para começar a fazer aquelas coisas que sempre gostaste: adquirir novos conhecimentos, pensar, relaxar-te, explorar novos caminhos ou tirar essas férias tão longamente desejadas. Talvez queiras pesquisar as possíveis novas direções para teu trabalho e explorar as novas ideias que vão surgindo. Sempre há uma saída  para o refluxo. Tua mente contém ideias que esperam ser exploradas e postas em prática; presta atenção às dicas susurradas das coisas que gostas de fazer, como também a teus sonhos e visões.

O universo faz de modo perfeito. Sempre a favor de meu bem supremo.

Quanto mais possas apreciar os presentes que te oferecem no período de baixamar, mais rápido recrescerá a maré. Concentra-te mais em tua abundância que nas faturas. Observa as novas qualidades que desenvolve tua alma: paciência, confiança, amor. Recorda que estás a criar o que se encontra no centro de tua atenção e que os ciclos descendentes são sempre seguidos por ciclos ascendentes. Pensa em algum momento passado no que tiveste grandes dificuldades econômicas. Olha como desenvolveu tuas forças e como mudou tua vida depois. Olhando ao passado, poderás ver o progresso que seguiu aos períodos de refluxo.

Em ocasiões, como a maioria das empresas, fará falta se gastares dinheiro antes de o ganhar. Se gastas o dinheiro em coisas que facilitarão tua futura prosperidade, o considera uma demonstração de confiança em tua futura capacidade de o ganhar. No entanto, tens de ser sincero contigo mesmo na valoração de tuas necessidades e dos rendimentos que poderás ter no futuro. Valoriza tua capacidade, conhecimentos e o mercado e toma tuas decisões em consequência. Há novas empresas, por exemplo, que alugam escritórios luxuosas e abundantes equipes técnicas, contratam trabalhadores e depois vêem que seu volume de negócio não é capaz de pagar essas despesas.

Minhas dívidas representam a fé que tenho eu e os demais em minha futura prosperidade econômica

Se pensas contrair uma dívida, consulta primeiro os conselhos de teu interior e pergunta se a decisão é apropriada. As dívidas contraídas para financiar um avanço importante levam em si a possibilidade de te contribuir com mais dinheiro do que o prestado. As dívidas contraídas para pagar as despesas mensais indicariam um problema básico na configuração de tua economia. Podes tomar dinheiro emprestado para pagar o aluguel, mas este seguirá sendo um problema no mês seguinte. Normalmente, é melhor pensar em outras maneiras de conseguir dinheiro que os empréstimos, quando se trata de necessidades permanentes.

Em ocasiões, parece necessário recorrer a um empréstimo para poder sair adiante, comprar o necessário ou financiar uma nova empresa. Se contraíste uma dívida, não deixe que o fato te impeça te sentir próspero. Se tuas dívidas te transbordam, se achas que emprestaram-te mais dinheiro do que és capaz de devolver, recorda tua confiança original em poder pagar facilmente estas dívidas. No momento de pedir o dinheiro, confiaste em teus futuros rendimentos; segue renovando esta confiança. Em vez de deixar que tuas dívidas se convertam em preocupações, cumpre com prazer inclusive os prazos mensais mais reduzidos. Visualiza a diminuição das quantidades devidas e, no final das contas, as dívidas serão saldadas.

A preocupação com as dívidas não é produtiva. Talvez tivesses preferido não as ter, mas não poderás saldá-las se não desvias tua atenção para ideias criativas e trabalhas, em vez de te inquietar. Se não podes cumprir um prazo, não te esqueças de estar em contato com teus credores. Diga a eles que tens a intenção de pagar e lhes envia todo o dinheiro que possas, ainda que seja só uma fração da soma devida. Os credores agradecerão tua preocupação e, normalmente, estarão dispostos a aceitar o que possas lhes dar, se teus pagamentos se realizam regularmente.

Uma família ficou quase sem dinheiro quando o pai perdeu seu trabalho. Os credores telefonavam-lhes e a mulher tinha medo de atender os telefonemas ou abrir a porta porque sempre tinha alguém que reclamasse seu dinheiro. A situação parecia muito grave. Um dia, um amigo disse-lhe que se um devedor se põe em contato com os credores e lhes explica a situação, eles costumam fazer concessões.

Ela não cria possível que fosse este seu caso, já que a maioria de seus credores eram grandes instituições. Não obstante, teve a coragem de apanhar o telefone e ligar para todos  lhes explicando seu problema e afirmando sua intenção de pagar as contas. Para sua grande surpresa, todos os credores foram amáveis e razoáveis. Ofereceu pagar-lhes 500 ou 1000 reais ao mês até poder assumir prazos maiores e todos aceitaram.

Se tens dívidas e desejas saldá-las, começa calculando sua soma total. Perdoa a ti mesmo pelos maus sentimentos que tenhas a respeito desta dívida; dá-te conta de que tanto tu como as pessoas que te emprestaram o dinheiro acreditaram, em seu momento, em tua futura capacidade econômica. Visualiza o saldo final de tuas dívidas. Imagina-te que as quantidades devidas são de “0.00 reais. Empréstimo liquidado”. Visualiza-te pagando o último prazo; faz que a cena seja o mais real possível. Experimenta os bons sentimentos daquele momento.

Não te preocupes pelo muito que se demora em devolver um empréstimo — será mais cedo do que pensares. Quando estiveres a ponto de pagar o prazo seguinte, escreve primeiro um cheque “falso” pelo custo total. Põe em um lugar onde o possas ver a cada vez que entrares em tua conta. Pagando, transmite mentalmente teu amor e agradecimento a teu credor, pela confiança que pôs em ti.

Muitas pessoas calculam sua própria valia de acordo com o balanço de suas contas bancárias. Inclusive se não tens uma conta de poupança e sim tens dívidas, tua própria valia existe à margem disso — tens tuas aptidões, teus conhecimentos, tuas atitudes, tua educação, tua experiência e teus contatos. Tudo o que tens aprendido e todas as tuas aptidões são fontes de futuros rendimentos. A aprendizagem e a experiência do passado são teu valor bruto e podes converter-lhes em dinheiro.

Meu valor e minha valia aumentam com tudo o que faço.

Cada vez que cobras por teu trabalho, trocas tua experiência por dinheiro. A cada dia adquires experiências que podem ser convertidas em dinheiro: tua capacidade ganhadora está em aumento. Empregados adequadamente, teus conhecimentos, aptidões e experiências valem dinheiro. No futuro, terás ainda mais aptidões que poder-te-ão gerar dinheiro. Inclusive estando endividado, teu valor bruto pode ser grande, simplesmente, não se viu ainda convertido em reais. Se és estudante e tiveste que endividarte para financiar teus estudos, estás a criar um valor bruto de aptidões que, mais adiante, serão convertidas em dinheiro. Segue crescendo, expandindo-te e seguindo teu caminho e tua valia seguirá aumentando. Crescendo, poderás ganhar mais dinheiro no futuro para acabar de saldar tuas dívidas.

Quando te encontrares lutando por sobreviver, mal capaz de pagar tuas faturas, não aches que fracassaste. Isso não é mais que o modo que escolheste para aprender muitas lições importantes e experimentar a essência de teu ser. Esta experiência fá-te-á crescer rapidamente. Talvez estejas a aprender que mereces a abundância, vivendo a falta das coisas desejadas. Talvez estejas a dar-te conta do pouco que se precisa para viver, e de que não dependes tanto das coisas como crias. Talvez aprendas que podes ser generoso inclusive quando tens muito pouco. Poderias estar a conhecer as qualidades superiores da confiança, a compaixão e a humildade, pesquisando o que é importante em tua vida, distinguindo entre o fundamental e essencial e o que não o é, aprendendo como aceitar o oferecimento dos demais ou como te sentir poderoso sem dinheiro. Quando tiveres compreendido, abraçado e aceitado todas estas lições, já não fá-te-á falta esta experiência.

Extraído de “Como criar dinheiro”,  por Sanaya Roman e Duane Packer. p. 41

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s