Transcrição da Entrevista de David Wilcock na Rádio Whistleblower, 14 de dezembro de 2011

2011, 21 de dezembro

Postado por Steve Beckow

 

Ellen fez uma transcrição da entrevista de Kerry Cassidy com David Wilcock no Projeto Camelot da rádio Whistleblower, em 14 de dezembro de 2011, em relação às ameaças que teriam sido feitas contra a vida de David. Eu, pessoalmente, acho muito mais fácil ler uma transcrição do que assistir a um vídeo ou ouvir um áudio, por isso estou muito grato a Ellen por ter realizado uma tarefa tão extensa.

 

Mais uma vez, reitero, experienciei o que David poderia estar sentindo: o corpo assume o lugar da mente e provoca um choro, assim como aconteceu com David. Como eu experienciei tal incidente, apresso-me a acrescentar que a assunção do controle do corpo em uma circunstância como esta não deveria, em minha opinião, ser interpretada como medo, pois não é algo sobre o qual a pessoa tenha controle consciente.

 

Peço desculpas pela extensão deste post, mas o assunto é, creio eu, muito importante para que o conheçamos e acessemos. A fonte dos fundos envolvidos na ação é a mesma que financia o projeto Bridge, que é um grupo pouco conhecido dos aliados da Terra.

Kerry Cassidy Entrevista David Wilcock

 

Kerry Cassidy: Como estão todos esta noite? Aqui é Kerry Cassidy do Projeto Camelot, da Rádio Whistleblower. E teremos um — bem, um show bastante incomum e dinâmico, hoje à noite. Receberemos dois convidados: um deles é minha convidada agendada para hoje,  Maxine Taylor – que é astróloga e autora de dois livros neste momento, creio eu. Ela vai lhes dizer mais sobre isso. Depois será a vez de David Wilcock no ar aqui comigo, que acaba de receber uma ameaça de morte. Vamos pedir ao nosso público para que se concentre e envolva-o em luz branca e proteção. Contactamos pessoas muito importantes aqui, e – esperem um momento. Aqui é Kerry Cassidy. Temos David Wilcock e Maxine Taylor? Se pudéssemos adicioná-los, será que há alguma possibilidade de adicionar os convidados e trazê-los para esta chamada?

 

David Wilcock: eu estou aqui.

 

Cassidy: Ok, Oi, David. Você está aqui.

 

Wilcock: Sim. Ahã.

 

Cassidy: Ok, Então deixe-me repetir: David Wilcock recebeu uma ameaça de morte. Pedi-lhe de última hora para vir ao meu programa, depois de ter recebido essa notícia. Contactamos as pessoas necessárias para protegê-lo, e elas o farão. No entanto, também estou pedindo aos ouvintes para o envolverem em uma luz branca em proteção, e se vocês tiverem condições de resolver essa situação de outros ângulos, façam-no. Assim, vá em frente David, e conte-nos a sua história, que iremos cuidar disso.

 

Wilcock: Tudo bem. É tudo…

Cassidy: Está tudo bem. Vamos dar um passo por vez. Só quero dizer que, como  sabe, você é amado por muitas, muitas pessoas lá fora. Contactei uma pessoa muito importante que pode [inaudível] em todos os sentidos. Assim, não se preocupe. O que puder ser feito, será feito em seu nome. Preciso dizer que já vi o futuro, e você vai ficar bem.

 

Wilcock: Bem, eu agradeço muito. Então, estive cobrindo a história de Fulford e divulguei informações sobre algo muito mais secreto do que os UFOs. Fui …. me ligaram hoje, depois de eu colocar isso na internet, e este indivíduo em particular que vos fala foi contactado por duas pessoas diferentes. Uma delas disse: “Você gosta de David Wilcock?” Foi assim que ele começou a conversa. Sabe, ele disse isso – basicamente, ambos disseram a mesma coisa, que era exatamente o que eu precisava para começar a segunda parte do artigo hoje à noite. Eles não entrariam em detalhes, mas me disseram que se eu fosse torturado, seria até sorte a minha,  mas que provavelmente eu não sobreviveria. Porém se eu conseguisse passar os três próximos dias, provavelmente ficaria bem. Mas eu estaria muito mais seguro se pudesse ter essa informação hoje à noite, pois me fizeram acreditar que, se alguém vier falar comigo, não me dará alternativas, tentará comprar-me, ameaçar-me de morte, narco-hipnose, algo assim, ou essas coisas de controle da mente, sei lá eu. Mas que, basicamente, tudo o que eu tenho antes…essa equipe iria aparecer aqui,hoje à noite . Então eu me senti como – Desculpe por estar chorando.

 

Cassidy: Não, David, sabe, nós estamos com você, e com certeza está tudo bem. Sabe, você está cercado por uma luz incrível, como você já sabe. Ok? E você é muito amado. Eu nem posso dizer o número de pessoas que estão lá fora. As palavras vão saindo. Acredite, essa situação será controlada de várias formas diferentes. E eu só quero que você aguente mais um pouco e por favor, fique com a gente e fale não só disso, mas qual foi a história que lhe contaram para levar a isso tudo. Você tem esse forum aqui, você tem estações de rádio – tenho certeza que vamos conseguir transmissões simultâneas . Quem conhecer alguém que tenha uma emissora de rádio, por favor, peçam para tomar conta disso

 

[Soluços ao fundo]

 

David? Vai ficar tudo bem. O que importa é que você se mantenha firme e que possa nos contar a história.

 

Wilcock: Okay.

 

Cassidy: Porque é isso que irá protegê-lo. A verdade –

 

Wilcock: Okay.

 

Cassidy: – por pra fora, isso é que vai protegê-lo. Ok?

 

Wilcock: Okay.

 

Cassidy: Quando vier a público, eles não poderão tocar em você. Será de domínio público. Então, vamos falar.

 

Wilcock: Okay. Tudo bem. Vou ficar firme. Fulford nunca… ok. Eu acho que…. ok, primeiro o contexto. Isso é o que eu sei por ora. Estive em contato… estive em contato com Benjamin Fulford. Ele apareceu em cena em 2007, como todos sabemos. E o que ele vem dizendo é que há uma aliança de 117 nações, que estão alinhadas contra os Illuminati, que para quem não sabe, é a liderança política secreta dos países do G5 – sem os demais. Eles estavam governando uma série de países através de representantes. Tinham ditadores fantoches governando um monte de países no Oriente Médio e na África, e esses países agora estão reivindicando de volta a sua soberania. E a primeira investida que planejaram no sentido de trazer tudo a público é uma ação judicial.

 

Fulford vem falando sobre esse processo em seu site há, pelo menos, um ano e meio. O site foi publicado, e foi arquivado – Fulford disse que seria arquivado em 15 de novembro, mas foi arquivado em 23 de novembro. Tem 111 páginas, e é incrivelmente complicado. Eu o baixei quando ele apareceu pela primeira vez. Achei que era besteira, quando saiu pela primeira vez, porque havia uma citação da Wikipedia em relação ao Fórum Econômico Mundial de Davos. Eu escrevi uma longa mensagem no site de Benjamin Fulford dizendo que eu achava que isso tudo era besteira.

 

Depois disso, as pessoas que foram responsáveis ​​pela propositura da ação entraram em contato comigo pessoalmente. Começamos um relacionamento que nos levou a nos contactarmos extensivamente. Eles me enviaram mais de 500 fotografias e dezenas de documentos que colocaram minha cabeça a prêmio. Recentemente vi o livro de Maklumat, o livro dos códigos. Vi a documentação que vai acabar com essas pessoas, está sob minha posse. Em breve irei levá-la para outras pessoas que já possuem o arquivo Wilcock.

 

Vocês sabem quem são. Por favor, não inspecionem o arquivo. Só prossigam com a categoria um de distribuição, se algo acontecer comigo. Se olharem na pasta reveladora,  tenho uma lista de critérios. Não soltem a categoria dois,  a menos que os critérios da pasta reveladora sejam atendidos. Pelo menos três dos pontos da pasta devem ser atendidos antes de soltarem a categoria dois. Mas a categoria um só ocorrerá se eu estiver morto, ok? Se não tiverem notícias de mim em três ou quatro dias, então vão em frente e divulguem.

 

Além disso, se eu revelar uma frase código, como vocês sabem, é porque está na pasta de revelação. A frase código diz que se vocês virem isso em minha próxima atualização, então terão que seguir com o plano de distribuição um. Está  tudo na pasta. Okay. Então é isso que precisamos fazer. Este é o plano que eu arranjei, mas nunca esperei que precisasse usá-lo. Kerry, você sabe, eu lhe disse, gravei tudo – é uma traição – mas eu gravei tudo o que aconteceu quando eu estava no telefone com Henry Deacon. Eu disse a ele, quando ele estava aqui, e isso é parte do que está nesse arquivo. Há um monte de outras coisas muito suculentas nesse arquivo.

 

Não me façam fazer isso, por favor. Ok?

 

Quero dizer, tudo bem. Eu tenho que me acalmar. Então, essas pessoas – aqui vai a história. Adam Smith, A Riqueza das Nações, de 1700, escreveu este documento no qual ele dizia que se os países tivessem ouro, seriam um risco para o mundo. Esta é a base de todo o resto que se segue na história – Adam Smith, A Riqueza das Nações. O argumento era que as pessoas que detinham ouro poderiam tirá-lo de um país e mudá-lo para outro. Portanto, a soberania nacional de um país estaria em risco se tivessem ouro. Qualquer país que estivesse no padrão ouro ou qualquer outro metal precioso seria um risco para o resto do mundo. Tornaria-se um prejuízo para o mundo.

 

O argumento era de que o ouro teria que ser deixado fora do mercado, fora do mercado internacional. Este é o maior segredo. O ouro teve que ser confiscados, para que – originalmente a idéia era de que a riqueza seria criada em proporção à quantidade de riqueza que o povo daquela nação estivesse criando. Em outras palavras, a moeda fiduciária versus a riqueza criada por sua nação.

 

O problema era que se você tivesse um padrão-ouro e tivesse pessoas que nasceram e fizeram mais coisas, criaram mais riqueza, não havia mais ouro extra, e assim o preço do dinheiro subiria, ou seja, se as pessoas tivessem dinheiro, ele valeria cada vez menos e e destruiria o país. Então, finalmente, você teria que eliminar o padrão-ouro a fim de prevenir-se contra a inflação, como se viu na República de Weimar na Alemanha, quando as pessoas levavam dinheiro em um carrinho de mão para comprar um pão.

 

E este plano foi em frente com o Império Britânico, secretamente gerido pelos Rothschilds que trabalhavam como representantes, e sabiam que 85 por cento do ouro do mundo estava contido na Ásia. A razão disso foi que os povos do mundo, incluindo o Império Romano e os espanhóis, muito mais tarde, foram tomando todo o ouro do mundo e usavam esse dinheiro para pagar coisas que eram provenientes da China, Ásia, Indonésia, incluindo as especiarias, que eram muito exóticas e indisponíveis em qualquer outro lugar, a cerâmica [sic], sedas de belos padrões e cores, porcelana e cerâmica muito finas, aqueles vasos elaborados com pinturas de folha de ouro, dragões e coisas do tipo. As pessoas queriam essas coisas, pois eram de muito melhor qualidade do que qualquer outra coisa no mundo, e as pagavam em ouro. Dessa forma, pelo fato de a China ter coisas muito boas, eles acabaram ficando com a maior parte do ouro do mundo.

 

Está claro, até agora, Kerry?

 

Cassidy: Bem, é como um histórico –

 

Wilcock: Okay.

 

Cassidy: – sabe, é história. Mas neste momento eu acho que as pessoas vão ficar confusas sobre a razão disso ter-se centrado em você.

 

Wilcock: Okay. Acontece que o Rothshchild / Império Britânico invadiu o Japão e o usou para ir atrás da China. O Imperador Hirohito em 1921 foi para Londres e criou o Banco de Compensações Internacionais. Um pacto secreto fora feito naquele momento. Fulford conseguiu essa informação. Ele não usou, aparentemente, cerca de 95 por cento das informações que as pessoas lhe deram, não sei porquê. Mas foram dadas a mim e estou tentando dar a vocês agora, o mais rápido que puder.

 

Em 1921, o Banco de Compensações Internacionais foi criado. Eles fizeram um plano, um plano muito secreto, para que todo o ouro do mundo fosse confiscado e colocado sob depósito secretamente. E isso ocorreu mesmo,  através de Hirohito e seu exército japonês com um plano chamado Golden Lily, quando invadiram a China e saquearam seu ouro. Primeiro, eles vieram com bandidos, que roubaram-lhes o ouro e mataram pessoas. Em seguida, o exército japonês chegou e disse, “Oh, vocês tiveram problemas com bandidos. Vamos salvá-los”, quando na verdade são dois lados da mesma moeda. O ouro foi armazenado em vários locais.

 

Agora, eis a parte mais importante. Há dois milhões de toneladas de ouro em depósito realizado pelo Banco de Compensações Internacionais e Reserva Federal. Secretamente, os países do mundo têm esse dinheiro em depósito. A quantidade de dinheiro em termos atuais de seu valor à vista em ouro, com base nos meus cálculos do preço à vista do ouro a quatro dias atrás, a quantidade de dinheiro que eles realmente têm é de 11000000 trilhões de dólares. Tudo o que ouviu sobre a escassez do ouro não é verdade. Este é o maior segredo. É por isso que as pessoas estão cagando nas calças e não querem que eu fale sobre isso, porque ninguém esperava que isso viesse a público.

 

E é isso que está acontecendo agora. Este é o segredo. Essa é a história. A história é que através da ameaça, que levou à Segunda Guerra Mundial, a maior parte do ouro do mundo foi saqueada. Foi pilhado nos EUA porque eles tornaram ilegal a posse de ouro. Se você tivesse ouro, seria levado do seu cofre. O ouro dos judeus foi roubado, eles que tinham a maior parte do ouro na Europa. Isso é …

 

[Música para cima]

 

Então, vamos falar mais sobre isso depois do intervalo, acredito.

 

[Pausa]

 

Cassidy: Ok, este é o Projeto Camelot  da Rádio Whistleblower. Nós temos um show muito incomum neste momento. Temos Maxine Taylor, acredito, que vai estar na linha com a gente. Ela é uma astróloga, assim como, digamos, é uma intuitiva. Dessa forma, eu não acho que seja ruim ela estar aqui, no entanto falaremos sobre o que estávamos planejando falar. Temos também o David Wilcock, que recebeu uma ameaça de morte, e isso é muito grave, pelo que entendo – David, você ainda está comigo?

 

Wilcock: Sim.

 

Cassidy: Em Divinecosmos.com, você escreveu a primeira parte de um comunicado à população sobre uma situação que diz respeito a uma ação judicial e ouro. E –

 

Wilcock: Correto.

 

Cassidy: – ele foi explicando a situação. Por causa do que ele escreveu, pelo que entendi, e por causa de sua associação com Benjamin Fulford, ele recebeu uma ameaça de morte muito grave. Estamos tentando trazer mais alguém a este show que vai resolver esta situação sob, digamos, um ponto de vista mais estratégico. Essa pessoa será conhecida como Anônimo quando entrar no ar.

 

Ok, David, você quer continuar a descrever a situação?

 

Wilcock: Okay. As últimas três semanas têm sido incríveis. As pessoas me acolheram em sua confiança. Em 1938, havia ouro – sete navios de guerra gigantes dos EUA cheios do ouro que era mantido pelos asiáticos, que foi enviado para os EUA e posto em depósito secretamente sob Reserva Federal e títulos foram emitidos em função desse dinheiro. Era para ser um plano em Bretton Woods que – o acordo de Bretton Woods em 1944 deu-se quando, após a Segunda Guerra Mundial, o confisco do ouro estava completado. Um informante me disse que visitou um desses centros pessoalmente, em que você anda por um corredor de um quilômetro de comprimento, com portas de cada lado, [e] cada uma dessas portas abriria-se para uma sala do tamanho de um ginásio de basquete em que há barras de ouro, em tijolos, empilhadas do chão até o teto.

 

Foi-me dito por um outro informante que o ouro era realmente mais abundante do que areia. Parece até que eles estavam brincando. Mas a questão é que se você for na Wikipedia, ela vai dizer que há 120 mil toneladas de ouro oficialmente reconhecidas no mundo. O número real é, na verdade, aparentemente, mais de dois milhões de toneladas. Se você calcular quanto vale dois milhões de toneladas no preço à vista, dá 11.000 mil trilhões de dólares.

 

Esse é o dinheiro – esta é a garantia adicional que secretamente dá retaguarda a todas as moedas do mundo. É uma ilusão a de que toda moeda “bolha” fiduciária seria suportada por nada. Os países do mundo precisavam dessa garantia adicional para saber que poderiam confiar nos sistemas econômicos. Há ouro em Fort Knox, há ouro em outros tesouros públicos, mas é uma quantidade menor quando comparada com a que está lá realmente. É só um show de fumaça e espelhos para mostrar ao público.

 

Mas, aparentemente, este plano os permitiu – o que acabaram fazendo foi confiscar todas as riquezas do mundo para que ninguém jamais pudesse se levantar contra o sistema monetário fiduciário, em que basta digitar números em um computador, que eles aparecem como dinheiro.

 

Então,  é com isso que estamos tratando. Foi assim que foi feito. É, aparentemente, o maior segredo que existe. E eles não querem que você fale sobre isso, mas parece que, sabe…o ouro é mantido em instalações subterrâneas. É mantido – há navios naufragados no fundo da Fossa das Marianas e em outros lugares, em todo o sudeste da Ásia, onde este ouro está sendo guardado. Há uma sala de tesouros embaixo da ilha de Taiwan, que foi escavada à mão por trabalhadores. Mede 40 por 50 milhas de largura e sete andares de profundidade. Aparentemente, metade dessa sala está cheia de ouro de um lado e os preciosos tesouros da China, do outro.

 

Desde a década de 1920, até final dos anos 30, a China tinha todos os seus navios a transportar este tesouro de ouro para Taiwan constantemente. Há extremo sigilo em torno de tudo isso. Não é de domínio público. Em comparação, é muito mais fácil obter-se informações sobre os UFOs. Venho pesquisando esses assuntos desde 1996 pela internet e  tive acesso aos informantes desde 2001, quando fui para Projeto de Divulgação do Dr. Steven Greer, em Washington, DC em 10 de maio, uma reunião fechada e executiva para membros do Congresso.

 

Nunca tinha ouvido falar disso antes, mas desde então já encontrei documentação que se pode ler. Há um site, o deepblacklies.co.uk, que é escrito por um homem chamado David Guyatt. Se você acessar esse website – é um pouco complicado, precisa-se ter um PC, mas você pode realmente baixar, gratuitamente, cinco livros que ele escreveu, que incluem documentos absolutamente convincentes do Comitê dos 300, da Comissão Trilateral, do Banco UBS na Suíça que lhe mostram os códigos, a documentação. É um segredo aberto.

 

Eu não sabia que isso era público. É como se você tivesse que saber o que perguntar antes das portas se abrirem. E, assim que soube que perguntas fazer, falei com alguns informantes que me deram mais informações. E eu fui em frente e publiquei um artigo que revela essa ação que Fulford e as pessoas que o contataram estão impetrando.

 

Na ação, a lista de acusados ​​inclui as Nações Unidas, o Primeiro-Ministro italiano, o chefe do Fórum Econômico Mundial – esses batem muito pesado mesmo. A ação é de um trilhão de dólares e esse processo é a ponta da lança que impulsiona a cunha que vai realmente levar à derrota aquilo a que eu carinhosamente chamo de “Velha Ordem Mundial”. E tudo se remete à China e o transporte de seu ouro para os EUA em sete navios de guerra. A Reserva Federal deu-lhes títulos como garantia adicional por isso e o dinheiro foi então colocado em depósito e usado para financiar o sistema econômico mundial desde o início de 1944, com o Bretton Woods.

 

Prometeram a eles …. Como resultado disso, prometeram aos asiáticos que o dinheiro seria usado para a melhoria do mundo, para o desenvolvimento da Ásia e África, e em 1954 eles perceberam que isso não estava acontecendo. Rebelaram-se. Queriam uma mudança, que culminou em um plano envolvendo John Fitzgerald Kennedy e o Presidente Suharto,  da Indonésia. Kennedy realmente emitiu um mandado executivo, que é o 11110, em que seria capaz de emitir moeda padrão-prata sob seu próprio decreto, dando um curto-circuito na Reserva Federal e isso teria criado uma moeda com base em metais preciosos. Ele foi assassinado três dias depois que fez isso.

Os asiáticos não têm poder militar capaz de criar outra oposição efetiva. Esperaram 30 anos, até que o acordo de Bretton Woods, firmado em 1944, expirasse, em 1994. Entraram com um processo para a mudança do Sistema de Reserva Federal e de todo o sistema econônico mundial, mas as pessoas que governam a Reserva Federal não quiseram.

Esse fato levou a uma outra ação que foi impetrada em 1998, quando a China tentou recuperar o ouro que lhes foi — agora eles falam dessa forma — roubado em 1938. Foi um tratado de 60 anos que expirara, e perderam o processo. Em outras palavras, a Reserva Federal perdeu a ação em um julgamento secreto ocorrido em Haia, na Organização das Nações Unidas. E, como resultado da perda desse processo, eles teriam um acordo para cumprir, sendo-lhes dito que teriam de devolver o dinheiro em 12 de setembro de 2001, que estava guardado sob o Edifício 7, no World Trade Center. Obviamente, um dia antes, 12 de setembro, vejam o que aconteceu.

 

[David se enganou nessa parte. Foi sob uma das torres,  WTC Um ou Dois. Ele cometeu o mesmo erro, quando estava entrevistando Fulford recentemente, que o corrigiu.]

 

Sabemos agora, ou ouvimos dizer que havia um cofre de ouro sob o Edifício 7 [Nota: este é o prédio errado], que foi esvaziado, mas agora com o contexto que Fulford nos deu e de acordo com o que essas pessoas estão me dizendo, foi por isso que aconteceu a tragédia. Okay. Nada mais aconteceu até que houve um outro processo impetrado contra a Reserva Federal que foi bem sucedido. Eles enviaram o ouro, sendo que, quando levado pelos chineses, descobriu-se que era tungstênio,  galvanizado com ouro no exterior. Foi inútil.

Desde então, os chineses mudaram de estratégia, porém não se trata realmente do partido do governo da China. Não é dos comunistas, mas do partido deposto sob Chiang Kai-shek, chamado Kuomintang, refugiados em Taiwan, na Indonésia, Filipinas e em outros lugares. Então, precisamos deixar isso claro.

De qualquer forma, para chegar à história, pois estou tentando fazer isso o mais rápido possível, eles perderam, ou seja, a Reserva Federal perdeu. Entregaram este ouro que era falso para o Kuomintang, e eles responderam organizando uma aliança internacional que causou o colapso do dólar e de muitas corporações americanas, aquele colapso financeiro de 2008. Como consequência deste colapso, eles criaram essa merda de TARP que tirou todos da crise. Ninguém esperava que eles fizessem isso, fomos totalmente pegos de surpresa: eles criaram tanto dinheiro assim, do nada. Isso atrasou os planos.

A parte seguinte dos planos envolveu a Surpresa de Outubro da China. Vá ao meu site, divinecosmos.com, e poderá ler sobre isso. Mas o que acontece é que também existe um plano envolvendo um processo, com 117 nações por detrás. Na verdade, o número agora subiu para 122, pelo que ando ouvindo. E, sabe, tudo o que fizerem comigo, não vai mudar isso.

 

Então, essas pessoas estão latindo na vizinhança errada. Se me ameaçarem, estarão só piorando as coisas, pois o que estão fazendo –

 

Cassidy: Ok, David? Esta pessoa e várias outras que estão interessadas em protegê-lo precisam saber exatamente como a ameaça aconteceu.

 

Wilcock: Eles provavelmente sabem quem é o informante, que me ligou hoje cedo. Essa pessoa me disse que tinha recebido telefonemas de duas pessoas diferentes e ambas disseram que eu seria muito sábio em liberar hoje à noite a segunda parte, e que seria muito mais seguro para mim contar hoje à noite, pois amanhã poderá ser tarde demais. Disseram-me que se eu fosse só torturado, já seria sorte …

Cassidy: Ok, mas se você contar, não será torturado? A ideia é que de se você liberar o que sabe –

Wilcock: Sim, foi-me dito que eu estaria muito mais seguro se falasse hoje à noite.

 

Cassidy: E você está planejando – estando neste programa de rádio, você está planejando contar tudo hoje à noite?

 

Wilcock: Sim, quero dizer, eu estou te dando a parte central da história, e a única coisa que resta, que eu ainda não disse, são as questões envolvendo as pessoas que estão neste processo. Mas eu basicamente – o mais rápido possível, eu resumi a coisa toda para você. Só falta isso.

Cassidy: Okay. Será que as informações oficiais se enquadram nisso?

Wilcock: Sim. Quero dizer, há um monte de desdobramentos. Várias pessoas estão dizendo mais ou menos a mesma coisa. Ou seja, isso é a parte terrível para as pessoas que estão em posições de liderança nos países G5, porque não sabem onde isso vai dar. E não gostam do fato de, sabe, as pessoas ficarem muito chateadas quando descobrirem que a economia foi completamente desviada, que nada em relação ao colapso econômico precisaria ter acontecido, e que toda a riqueza do mundo foi confiscada para ser capaz de permitir-lhes — o que deveria ter sido realmente uma coisa positiva e poderia ter sido algo positivo se tivessem sido usadas as medidas corretas, ou seja, emitir-se moeda com base na quantidade de riqueza que as nações gerassem. Mas tudo se transformou nessa tela preta ridícula de computador em que só se digita números.

A única maneira pela qual poderiam fazer isso, a única forma pela qual poderiam assumir o controle de um planeta e criar do nada todo esse dinheiro de que precisaram , seria confiscando mesmo todo o ouro que realmente existiu. Este é o maior segredo. Esse é o segredo que me custou tanto para aprender e pelo qual eu poderia ter dado a minha vida.

Cassidy: Bem, ok, mas …. No meu entendimento, não há como eles terem tudo isso, se uma parte está sob — basicamente sob a água, nas Filipinas.

Wilcock: Bem, está tudo registrado. Isso é o que você tem de entender. Esse dinheiro está todo – documentado ….

Cassidy: Ok, mas os oficiais estão, sabe, estiveram envolvidos nisso, que é, sabe …. O blog deles, que eu esqueço, é alguma coisa como “cabalanegra.blogspot ou alguma coisa ponto com. De qualquer forma, se você quiser ler mais sobre isso a partir daquela perspectiva. Ok, vamos a uma intervalo.Temos uma pessoa que estará entrando na linha em breve. David, eu conheço essa testemunha?

Wilcock: Sim.

Cassidy: Okay. Obrigado.

 

[Música aumenta; intervalo]

 

Cassidy: E nós estamos ao vivo com David Wilcock que se encontra em uma situação muito grave, pois recebeu várias ameaças de morte hoje como represália a um artigo que escreveu. A primeira parte deste artigo já está na web em divinecosmos.com, e ele estará lançando a parte dois hoje à noite. Mas também estamos divulgando essa segunda parte no ar agora para desviar o fogo de cima dele . Vamos trazer uma pessoa que está trabalhando em uma competência sensível pelo mundo afora, e que foi notificada sobre a situação. Ele tem a capacidade de envolver as pessoas certas para se certificar de que David estará protegido, digamos assim. Mas essa pessoa entrará no ar como “anônimo”. Não estará familiarizada com a situação, por isso David poderá ter que repetir, possivelmente, alguns fatos que já descreveu quando essa pessoa entrar no ar.

Maxine, você ainda está com a gente?

MAXINE Taylor: Sim, estou. Estou muito honrada e emocionada por estar aqui. Adoro David. Já o entrevistei e tenho o seu mapa astral na minha frente agora, como estamos –

Cassidy: Okay.

Taylor: – como ele está falando.

Cassidy: Bem, obrigado. E em algum momento poderemos trazê-la para essa discussão, certamente. Você foi simplesmente um amor, será recompensada. Eu sabia que se sensibilizaria com situação, o fato de permanecer nesse espaço já tem sido muito, muito fabuloso. Então, vamos continuar com a situação aqui.

David, você vai precisar falar mais sobre a situação para o nosso interlocutor. Interlocutor, você está no ar ? Temos o Anônimo? Você está ao vivo?

Anônimo: Você está falando comigo?

Cassidy: Olá. Muito obrigado por ter entrado nessa ligação. Eu entendi que você trabalha com competências muito sensíveis, que foi notificados sobre a situação de David Wilcock, que está preocupado e por isso acolhemos com prazer a sua presença aqui no ar conosco esta noite.

David terá prazer em responder a todas as suas perguntas, e explicitar tudo para você.

David, diga “oi” para Anônimo.

Wilcock: Olá.

Anônimo: Olá, David. Estou sabendo que você está com alguns problemas.

Wilcock: Sim. Não foi um dia muito bom.

Anônimo: Bem, pode me contar tudo o que está acontecendo com você, rapaz?

Wilcock: Eu venho acompanhando a história de Benjamin Fulford por um tempo. Ele fala há uns dois anos sobre um processo que iria ser arquivado, que remonta aos chineses, os Kuomintang, que eram os donos do ouro que enviaram para a Reserva Federal, em 1938, em sete navios de guerra. Títulos foram emitidos em contraparte àquele ouro e tudo está sendo mantido em segredo. Faz parte de um vasto acervo de ouro que é mantido como garantia às economias do mundo, que não detêm realmente garantia fiduciária, mas são secretamente apoiadas por esse ouro. Muito, muito poucas pessoas sabem disso. Você provavelmente não, mas a maioria das pessoas não o sabem.

O Kuomintang está tentando conseguir que o ouro seja repatriado, ou pelo menos que obtenham uma boa e justa representação dessa quantia. Aparentemente, houve um grande tumulto com essa ação e esse processo, eu acho, e apesar de ter sido arquivado, é oficial, está registrado no pacer.gov, e foi noticiado pelo Departamento de Notícias do Tribunal. Aparentemente essas pessoas que me ameaçaram ficaram muito, muito zangadas pelo fato de eu ter juntado toda essa história sobre a ação judicial para a recuperação do ouro chinês.

Aparentemente, ameaçaram Benjamin Fulford, pois ele desapareceu por um dia e meio. Havia um programa de televisão em que ele deveria estar e as pessoas do show, disseram ao vivo no ar que ele havia sido detido por um grupo do tipo da CIA e que estava mantido contra a sua vontade em um hotel. Então Fulford aparece um dia e meio depois, ligou para o cara que informou sobre o processo com o qual agora eu estou em contato, e disse: “Oh, não, eu estou bem, só fui para as montanhas me divertir com minha esposa, depois voltei para casa e fui dormir”. No entanto, Chodoin Daikaku, um cara que é, aparentemente, o chefe da sociedade de artes marciais, karate e aikido no Japão, foi ao programa de televisão no dia seguinte e disse que de fato negociou a libertação de Fulford e que foi muito desagradável.

Assim eu postei tudo isso no meu site, incluindo os vídeos para documentá-lo. Na manhã seguinte, recebo este telefonema dizendo que se eu quiser colocar a público a parte dois do meu artigo, é melhor eu fazer isso hoje à noite, porque poderá não haver um amanhã para mim. Essa é a situação em que estou agora.

Anônimo: Bem, é melhor trazer a público a parte dois, então.

Wilcock: Assim que terminar esse show, entro na internet  e o farei.

Anônimo: Não vamos decepcioná-los, então. Certifique-se de não deixar nada de fora. Coloque tudo, fale sobre tudo. Deixe o mundo saber.

Wilcock: Okay.

Anônimo: E nós vamos estar assistindo hein?

Wilcock: Eu acho que é a hora certa.

Anônimo: Vamos estar assistindo, e veremos. O rapaz que ligou para você teve a gentileza de deixar-lhe um número de telefone, de forma que você pudesse falar com ele?

Wilcock: Sim, quero dizer, o informante que me ligou, eu posso ligar para ele quando quiser. Ele recebeu ligações de duas outras pessoas, uma das quais lhe disse: “Você gosta de David Wilcock?” E então, disse, “Bem, você pode querer falar com ele enquanto ainda tiver uma chance.”

Anônimo: Bem, David, nós gostamos de você. E ficaríamos muito infelizes se alguma coisa lhe acontecesse.

Wilcock: Eu agradeço.

Anônimo: Espero esclarecer a todos os espectadores, a todas as pessoas lá fora que estão escutando em todas as comunidades que conhecemos.

Cassidy: Seria-lhe útil se David digitasse no Skype o número de telefone desse contato?

Anônimo: Bem, isso me pouparia o tempo de ir procurar na lista telefônica, garoto.

[Risos]

Cassidy: Certo. Então, David, se você puder digitar essa informação, acho que seria muito útil.

Wilcock: Okay.

Cassidy: Eu tenho uma teoria sobre quem é, e acredito que essa pessoa possa estar a postos. Se não estiver, se houver uma maneira de você tornar isso possível, ou alguém que pudesse fazer isso para você, seria ótimo.

Wilcock: Bem, essa pessoa não viria no ar, mas estou mandando para você –

Cassidy: Eu compreendo perfeitamente.

Anônimo: Oh, não, não. Assim, olha, eu realmente não [? ? ] o trabalho humanitário aqui. E não acho que nada vai acontecer. Então nem se preocupe muito.

Wilcock: Eu agradeço. E sei que se você ficar mal-humorado, algumas pessoas se chatearão mais ainda.

Anônimo: Ah, eu odeio ficar mal-humorado! É época de Natal, você sabe.

Wilcock: Ok, eu

Anônimo: [? Quem quer ficar mal-humorado?]

Cassidy: Então isso vai apenas para as pessoas que estão neste número de telefone privado. Não é para sair no ar –

Wilcock: Sim, por favor.

Cassidy: – e essa pessoa não deve ser chamado em qualquer outra circunstância, a não ser por nosso convidado muito ilustre que está trabalhando em obras secretas no mundo mais amplo.

Wilcock: Sim, por favor ligue, por favor faça essa ligação. E se for verdade que este é –

Anônimo: Deixe-me [esclarecer para você?] para todos os seus espectadores. E você também não sabe isso, David. O ouro de que você está falando é uma pequena quantidade. Não é um monte de ouro quando se considera a quantidade de que estamos falando. Nós lidamos com grandes quantidades muito acima do que você acha que conhece. O ouro é tanto e tão vasto que o real problema é mantê-lo lá embaixo, mantê-lo em surdina. Não importa. Aqueles [muitos ] dias da diplomacia dos canhões ja passaram , há muito tempo, e os companheiros de baixo nível gostam de pensar que de alguma forma [? ] não têm nada a ver com isso.

E se algum desses rapazinhos que dependem de suas carreiras no serviço público desejarem criar algum problema, oh, iremos lhes criar um baita problemão. Eu estou um [pouco? ] com a linguagem. Estive aqui nesse campo por muito tempo, mas também sabemos onde todos moram. Sabemos onde as suas famílias estão. Sabemos onde todos estão.

Cassidy: Isso é muito importante. Eu acho que vale a pena repetir. Então, interlocutor, já que sua voz está um pouco fraca – David –

Anônimo: Bem, eu estou muito longe, garoto. Se você soubesse o tanto que estou longe. Deixe-me dizer-lhe, sou — estou tão longe que você nem acreditaria.

Cassidy: Mas David, você poderia repetir isso para o público? Vou deixá-lo repetir que eles sabem onde essas pessoas estão, eles sabem onde estão seus lares, suas casas, suas famílias, eles conhecem todos os detalhes.

Wilcock: Sim. Eu ouvi o interlocutor muito bem. Espero que o público o tenha ouvido também. Se não, podemos provavelmente reeditá-lo após o show ao vivo e aumentar o volume para que todos possam ouví-lo.

É verdade que conversei com pessoas em todo o espectro, nos níveis mais altos, em toda parte dessa cobertura. O que esse interlocutor está nos afirmando é que há muito mais ouro do que a quantidade a que eu me referia agora, neste show. O problema é como evitar que isso realmente prejudique a vida humana neste planeta, pois se as pessoas souberem disso, poderão causar muita dor.

Eu acho que é preciso haver uma mudança. Eu acho mesmo que esse processo precisa ser tornado público. Mas eu não tenho certeza de que, sabe, como não sou um especialista, não sou um economista, eu só queria escrever sobre a história. Eu não sou o Presidente, eu não estou governando o país. Tudo o que faço é escrever sobre isso, e … sabe, eu sou – o que ele disse foi que –

Cassidy: Deixe-me dizer que, interlocutor – digo isso para o interlocutor anônimo que está aqui para resolvê-lo, mas não é verdade que uma grande parte do ouro está sendo tirada do mundo,  como dizemos por aqui, no final das contas?

Anônimo: Bem, está sendo colocado em todos os lugares, você sabe. Está em todo lugar. Não é em um ponto apenas.

Cassidy: Okay.

Anônimo: Você não colocaria todos os seus ovos em uma mesma cesta agora, certo?

[música aumenta de volume]

 

Cassidy: Ok, estamos – Me desculpem, mas realmente teremos que ir para o intervalo, não temos escolha. Estaremos de volta com a história em questão com David Wilcock, nosso interlocutor anônimo e Maxine Taylor , quem está à espera. Muito obrigado.

[pausa]

Cassidy: bem, aqui é Kerry Cassidy, do Projeto Camelot, na Rádio Whistleblower. Estamos no momento prosseguindo com a história relacionada a David Wilcock que recebeu ameaças de morte por causa de um artigo que ele escreveu no divinecosmos.com , e peço a todos para irem ao site. Estamos neste processo – o meu webmaster Tommy Hansen está na Noruega, lá é noite alta, mas ele está na internet trabalhando na tentativa de obter um PDF para que esteja disponível para download. Nossos ouvintes disseram que querem baixar o artigo e distribuí-lo por toda a rede, e possivelmente em outros lugares. Por isso, estamos trabalhando nisso agora.

Temos na linha Maxine Taylor, que é autora e astróloga, e está aguardando. Ela foi minha convidada originariamente e está sendo muito gentil. Maxine, você quer dizer olá a todos?

Taylor: Ah, com certeza. David, é tão maravilhoso ouvir sua voz novamente. Estou emocionada por você. E querido, eu já olhei o mapa. Você está seguro.

Wilcock: [? ] Com Plutão atravessando o meu céu ou algo do gênero?

Taylor: Não, querido, nada disso. Nada disso. Você tem alguns aspectos impressionantes, e se quiser, pode me ligar quando estivermos fora do ar, que vou lhe dizer o que vejo, pois seu mapa é particular e eu não quero compartilhá-lo publicamente sem sua permissão. Mas eu vou compartilhar com vocês o que estou vendo. Então, por favor, continuem falando.

Wilcock: Sim, esse eclipse que tivemos no fim de semana foi tão intenso para mim, por motivos pessoais que não têm relação com a escritura deste artigo — eu acho que tem uma leve relação – mas eu passei por tanta limpeza emocional, e tive — na noite do eclipse eu fiquei acordado a noite toda na cama. Estava com frio, estava quase — eu estava com tanto frio que tremia na cama, por causa da intensidade emocional das coisas pelas quais eu tenho passado. Assim, ouvir tudo isso e ser ameaçado em meio aos efeitos de cura muito poderosos e positivos em mim, foi uma espécie de — me pegou desprevenido. Eu normalmente, acho que sou muito corajoso para fazer o que estou fazendo, e não quero ser intimidado, mas simplesmente perdi o controle aqui no show, então…

 

Cassidy: Bem, eu – está tudo bem, e, sabe, esse tipo de honestidade, você sabe, nesse tipo de representação em que todos estamos é fundamental para que as pessoas comecem a ser mais honestas umas com as outras e entendam que as pessoas que fazem esse tipo de trabalho que fazemos se colocam à prova. E precisamos nos unir para nos protegermos. Com luz branca – a nos envolver com luz branca e proteção.

 

Temos o anônimo na linha aguardando. Anônimo, você está aí?

 

Anônimo: Eu ainda estou aqui.

 

Cassidy: Ok, anônimo. Estamos muito gratos por tê-lo conosco. Gostaríamos de falar sobre esta história em questão. Eu quero lhe fazer uma pergunta porque é de meu entendimento que, de certa forma este tipo de ameaça de morte – que eu também recebi no passado – é uma ameaça psicológica, mais do que qualquer outra coisa. Você acha que é isso mesmo?

 

Anônimo: Eu acho que eles são só uns baderneiros.

 

Cassidy: Você acha que eles são encrenqueiros.

 

Anônimo: [? ? ] Eles não gostam disso. Arruina a reputação do negócio.

Cassidy: [inaudível, o riso e] eu ia – sim, é uma ordem muito alta, para arruinar a reputação dos Illuminati, mas eu acho que eles vão trabalhar mais nisso! Pode falar mais um pouco, interlocutor?

 

Anônimo: Sim, bem, temos uma regra bastante simples. Se vocês, companheiros, sempre disserem a verdade e não a enfeitarem, mas disserem a verdade sem comprometer a privacidade de ninguém, seus endereços, suas famílias, estarão tão seguros quanto se estivessem [em um cofre de banco cheio de ouro] .

 

Cassidy: Então, David não tem –

 

Wilcock: Sim.

 

Cassidy: – Um endereço vazado ou coisas do gênero.

 

Wilcock: Sim. Quero dizer, a parte dois será lançada hoje à noite, cujo documento foi revisado pelos caras para se ter certeza de que eles não têm objeções. Eles realmente me escreveram. Quero dizer, tenho um e-mail aqui, e vou lê-lo. Vamos ver se consigo encontrá-lo. Sim, aqui diz: “Caro David, minhas sugestões são apenas remover os nomes de lacuna, e lacuna e retirar a parte em que você menciona os nomes das pessoas que conversaram com lacuna.”

[Conversas ao fundo, inaudível]

Anônimo: Bom, acho que eu disse exatamente isso, não foi?

Wilcock: Sim. Isso é o que ele está dizendo. Ele diz: –

 

Anônimo: Bem, ele dá o mesmo conselho.

 

Wilcock: “Essas pessoas têm que viver com as mesmas pessoas contra as quais estão lutando, e eu acho que é uma violação de confiança deixar vazar seus nomes. Mais do que isso, um número, que agora inclui o nome tal, tal e tal, agora nos traz informações diretamente de dentro do mais alto nível da cabala. Não devemos expô-los, seria como negar a sua utilidade para nós. Como nós, eles querem mudar, mas têm que trabalhar com aqueles contra os quais estamos lutando. A outra coisa que eu peço é – ”

Anônimo: David, David, meu rapaz. Está tudo muito bem. Eu não sou um homem bom com números e com todo esse tipo de coisa. Mas deixe-me dizer-lhe uma coisa. Eu sei que todos os seus [o seu? ], todos os seus ouvintes podem saber que há muitas, dezenas a mais de milhões de toneladas de metais finos e preciosos neste lugar, tanto que você jamais conseguiria imaginar. O que você está falando é um balde cheio de nonsense. Não importa. É pouco. É sem importância. E todos os amiguinhos que estão lá atrás, nos primeiros degraus da escada, todos eles estão chiando como formigas por ali, tentando [encontrar o melhor?] as melhores migalhas de pão que caem da mesa.

 

Cassidy: Ok, então o que o interlocutor está dizendo, se eu entendi, interlocutor – e pode me corrigir se eu estiver errado – é que as ameaças estão vindo de um nível inferior, não é mesmo?

Anônimo: Eles são todos um bando de tolos, pelo que me consta.

Cassidy: Ok, então, é importante saber que estamos falando de diferentes níveis. E, a propósito, um PDF já foi criado a partir de seu artigo por Tommy Hansen –

 

Wilcock: Oh, ótimo.

 

Cassidy: Vai ser colocado em nosso fórum, e as pessoas podem ir para Camelotforum.com. Presumo que Tommy, que está ouvindo, vai iniciar uma discussão a partir deste programa e desta situação em que as pessoas poderão postar e todos os tipos de coisas poderão ser ditas e tudo o mais. Mas vamos permitir que David monitore essa discussão também, e colocaremos o PDF lá de modo que as pessoas possam ter acesso e possam baixá-lo quando precisarem.

Mas, basicamente, voltando para o interlocutor, então, o que você está dizendo é que o ouro é abundante, que as pessoas que estão realmente fazendo ameaças sobre ele estão por fora, em certo sentido.

Anônimo: Sim, é por aí. Essas – ramificações, essas celulazinhas que crescem de forma independente, elas são todas relativas a um tempo [. Mas se elas se tornarem?] muito visíveis para nós, iremos ter uma conversinha com eles. Então, eles que fiquem atentos sobre quem ameaçam. Você já ouviu falar que o peixe maior come o peixe pequeno e, em seguida, o tubarão vem e come o peixe maior? Bem, eles podem ser uma refeição saborosa para nós.

 

Cassidy: [risos] Ok. Bem, esse tipo de –

 

Anônimo: E eu não estou no seu departamento de relações públicas, me desculpe, senhora. Eu não faço parte do seu departamento de relações públicas. Eu não sei como falar suavemente ou dizer as coisas certas. Quero dizer, estou aceitando esse convite por causa de um amigo em comum.

 

Cassidy: Certamente. E nós, bem, nós queremos agradecer-lhe por isso. Eu acho que os interlocutores – bem, acho que os ouvintes, quem estiver lá fora a acompanhar este programa de rádio, estará bem ciente de que nós trouxemos um peso pesado, por assim dizer, para o nosso lado. Há pessoas lá fora, você não diria, interlocutor, que consideram David Wilcock como da família. Você não diria isso?

 

Anônimo: Deixe-me dizer isto. De acordo com o que me foi dito, se alguém incomodar este rapaz ou alguns dos outros que estão por aí tentando dizer as mensagens que estão divulgando, ficaremos chateados de coração, e não vai ser um ou dois que irão ter uma dor de cabeça. Posso assegurar-lhes que países terão dores de cabeça. E as pessoas lá fora que estão ouvindo saberão o que estou falando. Nós não lidamos com um ou dois apenas.

 

Cassidy: Okay. Então, então –

 

Anônimo: Nós lidamos com sociedades inteiras.

 

Cassidy: Okay. Bem, sabe, eu não quero encorajar muito deste tipo de conversa, mas sim

 

Anônimo: Minha senhora, me desculpe, mas você está falando sobre coisas que estão na crista do negócio. Não existe nada de engraçado, de grandioso, como vocês todos falam. Somos muito sérios. Ninguém será importunado, a menos que façam coisas erradas. Contanto que não quebrem as regras, que são simples – dizer a verdade, e não comprometerem a privacidade das outras pessoas — simples assim. Não é muito difícil de acatar, né?

 

Cassidy: Então, David, sabe, você pode ficar seguro onde estiver …. E eu só quero que saiba que estou na sua vizinhança, sabe, estou aqui, basicamente, se precisar de mim para qualquer coisa, como você já sabe. E eu posso chegar aí em pouco tempo, se for necessário. E você também será bem vindo à minha casa a qualquer momento.

 

Wilcock: Sim, quero dizer –

 

Cassidy: Você e seus entes queridos são bem-vindos em minha casa.

 

Wilcock: Obrigado.

 

Cassidy: E – e eu –

 

Anônimo: E David, e David, meu rapaz – desculpe interromper, minha senhora – mas eu estarei lá em cima, na Ásia, esquiando na neve e encontrando alguns dos meus amigos mais queridos. Teremos uma linda reunião em uma semana, mais ou menos. E eu falarei de você para certificá-los que eu sei que você está bem, e os líderes desses países também terão muito interesse em saber que está tudo bem e que você está livre para publicar o que quiser, contanto que seja verdade. Ficaremos muito chateados se não conseguirmos ver as suas publicações. Quero que você envie tudo, tudo em que puder pensar, meu rapaz. Coloque tudo a público. [Tudo isso? ou muito?].

 

Wilcock: Okay. Honestamente, Kerry, eu ia a fugir. Eu ia entrar no meu carro –

 

Anônimo: Não fuja! Vá a um belo jantar. Eu serei você. Você é um desses companheiros que gosta de jantar em Los Angeles, em algum lugar na praia? Vá e faça isso.

 

Wilcock: Okay.

Anônimo: Vá e faça isso, e se tiver alguma dúvida, pegue 20 ou 30 unidades pequenas, uns pouco pen drives, dê 20 aos amigos que você confiar, dê mais 20 a pessoas que nem sequer conheça em todo o mundo, e os dê a alguém que possa repartir com todos. Dessa forma, você vai acabar com todos eles.

 

Wilcock: Isso já foi feito.

 

Anônimo: Bom! Excelente.

 

Wilcock: Essa é uma excelente sugestão!

 

Anônimo: Isso mesmo. Bem, [? ] todos eles, porque não precisamos de nada disso.

 

Wilcock: Você não ouviu isso, mas eu já dei instruções a todos os detentores do arquivo Wilcock, incluindo o fato de que você estará recebendo uma atualização muito em breve com novas informações. Não libere as informações, a menos que esteja autorizado, que serão as frases código que eu lhe dei e que irão aparecer no meu artigo.

 

Anônimo: Oh, [? ? ? ] Faça isso para todos. Entenda que não precisamos de nada disso. Nós não precisamos investigar. Temos meios e modos de saber o que está nos computadores de todos, quais informações eles têm. Não precisamos de nada. Fazemos isso de uma forma diferente. Não precisamos de material físico. Nenhum mecanismo, como você pode entendê-lo.

 

Wilcock: Bem, sim. Quer dizer, eu — esta foi a minha forma de fazer um backup, então …

 

Anônimo: Faça isso, porque essas pessoas que estão lhe incomodando, se de fato forem mesmo pessoas reais e não, uns [loucos ou proprietários?]. Eles não são nada. Não valem um pedaço de lenço de papel usado.

 

Wilcock: Bem, este telefonema que recebi foi tão sério quanto um ataque cardíaco, mas você também é, posso dizê-lo –

Anônimo: Oh, David, somos o tipo de gente que não o deixa pra lá depois do ataque cardíaco. Quando você morrer, meu filho, estaremos lá do outro lado a incomodá-lo novamente.

[Risos]

 

Cassidy: Sim. Então –

 

Anônimo: Então tenha a certeza de que podemos incomodá-los, assim como [? expectativa?] após a morte do corpo. E não falamos em torturas nessa vida, falamos de torturar vidas que continuarão por milhares de gerações.

 

Wilcock: Bem, eu agradeço, sabe –

 

Anônimo: Você entende o que estou dizendo? Você entende a profundidade do que estamos falando?

 

Wilcock: entendo.

 

Anônimo: E essa chamada telefônica está vindo de tão longe, para além do nunca, você nunca poderia agradecê-la.

 

Cassidy: Okay. Bem, bem, interlocutor, muito obrigado –

 

Anônimo: Oh, obrigado, minha senhora.

 

Cassidy: – o que eu gostaria de fazer é, se você não se importar, redirecioná-la para os loucos, a fim de mostrar-lhes do que se trata e como você pode contribuir.

 

David, na medida em que é fato que o ouro está aqui, ele também está sendo retirado do mundo. É muito abundante aqui na terra, mas é muito atraente para muitos dos visitantes do mundo lá de fora, como sabemos. Você pode explicar por que existe o foco no ouro neste momento, com este grupo em particular? Você sabe por que eles estão tão obcecados?

 

Wilcock: Você está falando sobre a ideia de o ouro ser levado para fora do planeta?

Cassidy: Não, eu estou perguntando ao interlocutor anônimo, se ele sabe por que esse grupo que está ameaçando você está tão fixado no ouro.

 

Wilcock: Kerry, posso dizer-lhe porquê, e ele poderá ponderar-

 

Cassidy: Tudo bem.

 

Wilcock: E se …? Eu não quero dizer isso. Vamos apenas dizer que o alcance da mudança — eu inadvertidamente — não, eu advertidamente, eu o fiz deliberadamente,  coloquei-me na ponta da lança.

 

O que vai acontecer como resultado desta ação ter vindo a público — e por isso que é tão importante que as pessoas espalhem essa palavra — é que existem pessoas que vieram fazer um grande mal. Há muito mais pessoas, dos quais o anônimo é representante — e mesmo que ele fale de uma forma que provavelmente assuste a maioria dos ouvintes —  há esse grande número de pessoas que não desejam fazer mal e que estão muito chateadas com o fato de que este número muito pequeno de pessoas esteja representando todo mundo no governo, todo mundo que trabalha para os militares, todos de uma empresa, todo mundo que trabalha em uma empresa de financiamento, fazendo-os parecer terríveis.

 

Há um pequeno número de pessoas que estão causando o problema. Esta ação destina-se a impedi-los de serem capazes de fazer o que estão fazendo. É por isso que eu estava disposto a me arriscar para tornar tudo isso público, porque o que acontecerá depois que nos livrarmos dessas pessoas — e eu não estou dizendo matá-las, mas lhes darmos um julgamento justo , e nem acho que elas deveriam receber a pena de morte, sabe? E algumas delas, que são peças fundamentais envolvidas podem pleitear a anistia.

 

Mas isso é o que estamos vendo aqui. Estamos vendo uma mudança geopolítica de proporções gigantescas que vai desencadear uma onda incrível de prosperidade para o planeta. Quando este sistema econômico for alterado, a prosperidade da pessoa comum irá aumentar dramaticamente. E é isso que precisamos fazer. Precisamos fazer isso para conseguir divulgação, precisamos fazer isso para nos reconectarmos com nossa família galáctica, precisamos fazer isso a fim de herdar a era de ouro que nos foi prometida em tantas profecias antigas diferentes .

Cassidy: Ok, obrigado David. Ok, interlocutor, Anônimo, você pode discutir o que David acaba de dizer? Porque eu acho que você tem um ponto de vista diferente sobre isso. Você está disposto a dizer qualquer coisa nesse sentido?

Anônimo: Oh, não muito, não. Ele falou de adoráveis ideais. E todos nós esperamos que aconteçam dessa maneira. Mas é difícil, quando você faz uma omelete, por vezes, você tem que quebrar alguns ovos. Mas ele está certo sobre uma coisa: não importa em que país você esteja, de onde você vem, 99 por cento das pessoas dos cargos públicos, em todos os povos e de todas as pessoas que trabalham no serviço público,  são pessoas genuínas e que se importam. Realmente são pessoas adoráveis e nos preocupamos com elas. Queremos ver todas as famílias felizes. Mas não é preciso muitos ovos ou maçãs podres para estragar uma caixa, uma dúzia ou duas de ovos. Há sempre um que cheira mal e causa a podridão. É um problema.

 

Cassidy: Okay. Interlocutor, você está disposto a resolver a situação com os banqueiros, aquilo tudo que está acontecendo na Suíça? Você está interessado em falar sobre o que está acontecendo com o dinheiro ao redor do mundo, e rastreá-lo? Nós teremos que voltar após o intervalo. Muito obrigado pela atenção. Aqui é Kerry Cassidy, do Projeto Camelot, com David Wilcock, Maxine Taylor e Anônimo.

 

[Pausa]

 

Cassidy: Okay. Aqui é Kerry Cassidy, do Projeto Camelot, Rádio Whistleblower, e nós estamos ao vivo com uma situação muito interessante em questão, como eu falo. David Wilcock recebeu várias ameaças de morte, esta noite, e como iríamos ao ar de qualquer maneira, o acaso do momento permitiu-nos vir a público com a sua situação. E David está conosco, David Wilcock está conosco. Temos também um interlocutor que nos ligou de um local secreto do mundo e que veio graciosamente ao ar, aqui para representar um determinado grupo. E, anônimo, você ainda está com a gente?

 

Anônimo: Sim.

 

Cassidy: Olá, anônimo. E eu agradeço[lhe] o seu sotaque irlandês é em alguns momentos um pouco difícil de entender, então às vezes eu vou repetir o que você diz. Eu só espero que você não fique ofendido com isso. É que eu quero que as pessoas consigam compreendê-lo.

 

Anônimo: [inaudível]

 

Cassidy: Okay. Então, anônimo, em relação a esta situação – e eu quero dizer que Maxine Taylor, que era minha convidada original e que é astróloga e arguta observadora do comportamento humano, além de intuitiva, também está aguardando e oferece seu apoio. E ela está na linha com a gente.

 

Então, Anônimo, você poderia, se possível, discutir a situação em relação ao que está acontecendo pelo mundo afora, se há alguma advertência ou qualquer coisa que você queira dar às pessoas? É muito raro ter você no ar nessas circunstâncias, ou alguém de seu grupo. Existe alguma mensagem que você gostaria de dar às pessoas a respeito destes tempos difíceis em que estamos vivendo?

 

Anônimo: Não há nada que eu possa dizer especificamente. Tudo que posso dizer é que existem muitos desafios pela frente, não vai ser fácil, mas se vocês mantiverem-se positivos, e junto à sua família – centrem-se na família, sua família é tudo! – este é o caminho a seguir. Nós iremos sobreviver. Em 20 anos, estaremos em um mundo diferente, em um lugar diferente, com sentimentos diferentes e valores diferentes. Será tão diferente que vai ser difícil o compreendermos. Muitos desses vilões terão ido embora, vencidos, de uma vez por todas. Mas é preciso muitas gerações para chegar-se a este ponto, menos se livrar dos vilões para sempre. Para isso, é preciso mundos de tempo.

 

Cassidy: Okay. E há muitos oficiais entre vocês, incluindo a si mesmo, que estão lá fora, fazendo um bom combate, ficando nos bastidores, indo para a escuridão, como eu falo, a fim de lidar com a situação por aqui. E estão lutando em nosso nome. Não é verdade?

 

Anônimo: Sim, é. É muito verdadeiro.

 

Cassidy: Obrigado. E nós lhes agradecemos. David, poderíamos voltar um pouco, se não se importar –

Wilcock: Claro.

Cassidy: – e descrever a situação de novo para as pessoas que estão em sintonia, em relação a Benjamin Fulford, e como você se sente sobre a prisão dele– suponho que tenha sido uma prisão, uma ocupação pela CIA, tomada de sua casa, ou o que quer que seja, prisão domiciliar, como o estão chamando – e, como basicamente, essa situação parece entrelaçar-se com o que está acontecendo com você?

 

Wilcock: Bem, o título do meu artigo que causou toda essa confusão é “A Ação Judicial de Trilhões de Dólares que Poderá Acabar Com a Tirania Financeira”. Eu só informo o  que outras pessoas estão fazendo. A informação que eu relato já é de domínio público. Trata-se de um processo de um trilhão de dólares que está sendo apresentado em nome de um grupo asiático secreto chamado de “Família Dragão”, que são os detentores de vastas somas de ouro — eu acho que o anônimo não diria nem de longe quão vasto é o ouro que estaria lá, mas – mas em termos convencionais, estamos procurando muito mais ouro do que está documentado oficialmente nos tesouros do mundo, ou em qualquer [fóruns? forum?] público.

 

A “Família Dragão” basicamente detém os direitos históricos deste ouro. Foi confiscado nos anos 20 e 30, como parte da fundação do atual sistema financeiro de Bretton Woods de 1944. O confisco deste ouro — quero dizer — está todo documentado, é tudo parte do sistema. É parte do sistema financeiro secreto que subscreve as moedas do mundo, de forma que a maioria das pessoas pense que estão emitindo moeda fiduciária, mas não é verdade. A moeda tem garantia. É justo que esses asiáticos queiram agora recuperar tal garantia porque não gostam da maneira como o dinheiro está sendo usado.

 

E essa é a situação que a ação está tentando defender. Está, basicamente, tentando mudar a ordem geopolítica, mudar o sistema financeiro, mudar a forma como está sendo gerido de forma que haja muito mais prosperidade para o cidadão comum. Mas há um pequeno grupo de pessoas que têm acesso à imprensa e que estão emitindo dinheiro fora de controle, e que já conduziu o mundo inteiro para um colapso financeiro global. Nada disso precisa acontecer. É tudo falso. É tudo baseado em números em computadores que não têm nenhum valor real.

 

E o que se tenta fazer agora é reiniciar o sistema financeiro global. E, no rescaldo deste reinício, iremos descobrir que esses enormes déficits nacionais foram apenas uma ilusão, foi tudo obtido ilegalmente, e não existem mesmo. Assim como a “ideia orwelliana” de que a guerra é paz, a liberdade é escravidão, e a ignorância é força. Quando a mídia lhes diz que isso é um colapso econômico global, na verdade é a melhor coisa que já aconteceu para todos.

 

Esta ação é a ponta da lança, e é por isso que algumas pessoas — aquelas a serem diretamente afetadas, pois vão perder a imprensa — estão muito chateadas e proferiram ameaças contra mim. E as pessoas que conhecemos e em quem confiamos irão realmente sair do anonimato, estarão no ar, dizendo que, se essas pessoas tentarem me prejudicar, serão também prejudicadas e haverá muitos problemas.

 

Então, eu não quero ver ninguém prejudicado. Iria entrar no meu carro e fugir da minha casa, depois que terminasse de escrever este artigo, mas agora eu vou sustentar essa verdade. Vou ficar em casa, vou segurar o forte. Não acredito que seja prejudicado, mas devo levar à serio essas ameaças, e é por isso que eu estou aqui, fazendo este programa de rádio, alertando as pessoas para o que está acontecendo, para a minha própria proteção e para o bem da humanidade.

 

Cassidy: Absolutamente, e para a segurança das pessoas à sua volta também.

 

Wilcock: Sim.

 

Cassidy: Anônimo, você ouviu o que David tem a dizer em relação a esta situação. Você pode abordar algumas das declarações que ele acabou de fazer em relação a essa ação e como isso poderia afetar as pessoas? Seria uma ação legítima, na sua estimativa?

 

Anônimo: Se eles quiserem segui-lo, David, você poderá dirigir para onde quiser, que irão encontrá-lo. Eles poderão [se sentar?] em cima de um satélite e ver você de qualquer lugar. Isso não é solução, garoto.

 

Wilcock: Certo.

 

Anônimo: As coisas de que você está falando, um monte dessas coisas será discutido em relação à Ásia no próximo ano. Mas há muitos dragões interessados ​​no renascer da Fênix, as filhas da Fênix estão voltando e as pessoas que me estão ouvindo sabem do que estou falando. Saberão que durante 100 anos ou mais, isso tudo foi planejado. E que os malvados terão de tomar suas sovas. O alcançado número 505 vai realmente fazer com que grande parte do mundo se torne muito mais sensível. E saberão o quão sério eu realmente estou falando.

 

[Vai] voltaremos para os acordos de 1943 da Segunda Guerra Mundial, e muitos outros que foram assinados, como você mencionou, a versão pública do Acordo de Bretton Woods.

 

Mas as dinastias e os [Chang Ling? changeling?] … e os outros que direi o nome aqui, todos sabem que estes companheiros bobocas não deveriam estar incomodando ninguém. E escutem isso de mim, as pessoas que estiverem ouvindo, eu sei o que estou dizendo. Acho que não há nada para se preocupar agora, hein? Está tudo feito, está tudo finalizado, acabou-se.

 

Cassidy: Okay. Portanto, esta situação com David neste momento foi resolvida. É isso que você está dizendo, interlocutor?

 

Anônimo: Eu sinto que está terminada, acabou-se, hein? Ele é um homem que deve ser capaz de seguir o seu caminho brilhante e desfrutar de seu negócio.

 

Cassidy: Okay.

 

Anônimo: E o ouro do mundo, o ouro deste mundo, minha senhora, não se preocupe, tudo valerá à pena. É muito mais valioso para ser usado em atividades do que ficar parado em um cofre em algum lugar.

 

Cassidy: Com certeza. Está certo. Bem, há muitos usos para o ouro, e eu acho que isso é uma declaração-chave, que, talvez, revele os níveis em que essas pessoas que fizeram as ameaças estão realmente, pois elas não entendem o verdadeiro uso do metal. Não é isso mesmo, interlocutor?

 

Anônimo: Muitas coisas eu não digo a eles. Quero dizer, você diria ao seu cão o que está acontecendo na rua em frente, no  noticiário da manhã, ou algo do gênero? Quero dizer, por que se preocupar com isso? Deixe-o pegar os ossos e buscar o jornal para você.

 

Cassidy: Oh, Deus.

 

[Risos]

Okay. Bem –

 

Anônimo: Vamos falar sério. Nós não queremos nenhum problema com o povo de bem lá fora. Trabalhamos em silêncio nos bastidores. Os tolos, são apenas tolinhos tentando pegar alguns milhões aqui e ali, não são motivo para se preocuparem. Entendam, a única preocupação é a proteção da sociedade humana como um todo. Não há distinção entre os países, raça ou cor. A raça humana e o genoma é tudo. Esqueçam todas as suas nacionalidades, todas as suas culturas e todos os seus [os preconceitos?], tudo foi criado para mantê-los atarefados, para mantê-los ocupados.

 

Cassidy: Na verdade, sim. Palavras muito sábias vindas de um local secreto em um lugar indistinto muito, muito longe.

 

Ok, neste momento, Maxine Taylor, você está olhando para o mapa astral de David. Quero lhe dar essa chance para manifestar-se. Poderia, pelo menos, nos dar o seu site e os títulos dos livros que escreveu, para que as pessoas entendam quem você é? E certamente a teremos no show em um futuro próximo. Depois vamos passar para David. Mas Maxine, você está com a gente?

 

Taylor: Sim, Kerry, eu estou com você. Você consegue me ouvir bem?

 

Cassidy: Sim, consigo.

 

Taylor: É uma honra para mim estar aqui e dividir esse espaço com David, você e anônimo. Meu site é MaxineTaylor.com. Eu escrevi um livro, escrevi vários livros. Um deles é um livro sobre astrologia, sobre o que falaríamos hoje e chama-se “Mudar-se para a Magia”. É um livro muito poderoso, mas parece um livrinho de amor que fala sobre como liberar sua programação desde a infância, como encontrar a sua paixão e sua missão na vida e depois passar para a magia — que é o o ponto zero, a fonte de energia dentro de cada um de nós. Mas se você olhar mais profundamente para este livro, verá que o escrevi para ajudá-lo a começar a pensar com clareza, a ver claramente. E eu acho que é por isso que estou sentada ao telefone junto com você, Anônimo, e David. Ele foi projetado para ajudá-lo a desprogramar-se, de modo que não possa ser enganado.

 

E eu nunca disse isso no ar antes, Kerry, e vou dizê-lo em seu show. David, você tem uma cópia do livro, mandei-a para você. Kerry, você tem uma cópia do livro, enviei-a a você. Então, eu espero –

 

Cassidy: Sim, e é um livro muito sábio. Obrigado, obrigado, Maxine.

 

Taylor: Não há de quê.

 

Cassidy: Okay. Neste momento –

 

Anônimo: Minha senhora, senhora, me desculpe interrompê-lo, mas eu vou ter que ir. David, cinco dos meus representantes desembarcarão em seu país dentro de sete dias. Um deles virá visitá-lo. Não se preocupe com isso. Vamos — sabemos tudo sobre você, onde encontrá-lo, o seu número, sabemos qual o tamanho das suas cuecas. Um deles irá perguntar-lhe como você está. Você deve dizer-lhe a verdade, nada mais do que a verdade. Se alguém tiver lhe incomodado, se ontem, alguém o tiver assediado, você deve dizer a verdade. É isso.

 

Wilcock: Eu vou dizer-lhes exatamente a verdade.

 

Anônimo: E se você fizer isso, já honrou seus compromissos para conosco. Basta dizer a verdade.

 

Wilcock: Okay.

 

Anônimo: E eles saberão mais sobre isso.

 

Wilcock: Okay. Muito obrigado.

 

Cassidy: Ok, anônimo, muito obrigado.

 

Anônimo: Tudo bem. Foi maravilhoso falar com todos vocês.

 

Cassidy: Ok, estaremos em contato com você, e obrigado por ter-se mostrado, neste momento, e muito obrigado ao grupo de oficiais a que você representa.

 

Anônimo: Bom, eu me desculpo se a hora do dia foi um pouco longa. A distância é um pouco mais do que se esperaria, então há um pouco de atraso na conversa.

 

Cassidy: Absolutamente. Nós ouvimos você. Okay. Algumas palavras de despedida, anônimo, para os ouvintes lá fora?

 

Anônimo: Diga aos ouvintes, a todos os seus ouvintes, que haverá tempos difíceis pela frente para todos. Não vou negá-lo. Mas após esses tempos, o arco-íris estará brilhando para todos. Todos, neste planeta, estarão brilhando no arco-íris, pois de nenhuma maneira empregaríamos todo o nosso tempo e esforço para ver essa raça tão bonita danificada ou destruída. A raça humana continuará — em um milhão de anos estará na glória que vocês nunca poderiam apreciar. Vai ser por aí.

 

Cassidy: Okay. Nós estaremos de volta.

 

Anônimo: Adeus a todos agora, e muito obrigado. E que Deus esteja com cada um de vocês.

 

Cassidy: Obrigado, estaremos de volta. Muito obrigado, anônimo.

 

Wilcock: Obrigado.

 

[Pausa]

 

Cassidy: Aqui é Kerry Cassidy, do Projeto Camelot, Rádio Whistleblower. Estamos ao vivo com David Wilcock, Maxine Taylor, e estávamos falando com um interlocutor anônimo que nos ligou de partes desconhecidas do mundo exterior para transmitir-nos algumas mensagens que são muito importantes, para que sejam retransmitidas a certas pessoas que estão fazendo ameaças à vida de David. E queremos agradecer-lhe por ter se manifestado. Ouvimos dizer que as mensagens saíram. David, você está na linha?

 

Wilcock: Yeah.

 

Cassidy: Okay. Eu sugiro que você desligue o vídeo, porque parece que o seu vídeo está ligado. Isso irá ajudar com a transmissão aqui, fará com que fique estável e o manterá com a gente para a última parte do show. Temos menos de 15 minutos.

 

Disseram-me para lhe dizer que a situação é estável, que não há nada a se preocupar, e que as mensagens chegaram — saíram para os lugares certos. E que as coisas estão sendo monitoradas. Você vai ser — algumas pessoas irão contatar-lhe. Então, depois do show você precisa ligar para um amigo nosso em comum, se tiver chance, para dizer Olá e que você está se sentindo bem.

 

Maxine Taylor, você ainda está com a gente, presumo?

 

Taylor: Sim, eu sou.

 

Cassidy: Tudo bem. Muito obrigado por isso.

 

Então, David, enquanto temos esses últimos 15 minutos, há mais alguma coisa que gostaria de dizer? Nós temos uma sala de bate-papo, quero que você saiba. Eu queria dizer às pessoas que as transmissões foram totalmente esgotadas. As pessoas que entraram on line agora e quiseram ouvir o show, não conseguiram. Pedimos desculpas por isso. Liberaremos esse show em uma hora. Irá ao ar – a Rádio Liberdade americana está a trabalhar arduamente nos bastidores para torná-lo disponível para todos,  para que seja distribuído, mas estamos no limite da capacidade. As transmissões se esgotaram durante o show, e nós nos desculpamos.

 

Então, David, você quer fazer um resumo do que aconteceu aqui? E se houver qualquer coisa que precise dizer às pessoas sobre o que vai escrever na segunda parte, algo que precise ser reiterado, faça-o neste momento.

 

Wilcock: Bem, eu só quero agradecer a todos por se importarem tanto comigo a ponto de me enviarem todas essas cartas que recebi. Eu não sabia que isso aconteceria. Acho que vivi minha vida com tanta confiança na segurança que tenho, que nunca esperei receber uma ameaça de morte assim.

Olha, sei que há pessoas que provavelmente irão pensar que tudo isso é um jogo elaborado que estamos jogando, ou que é tudo falso. Eu não sei o que dizer. Não me sinto confortável em postar quaisquer comentários no meu site sobre pessoas sendo sarcásticas, agindo como se isso fosse uma brincadeira ou que eu tenha inventado tudo. Só fiquei sabendo disso, não sei, uma hora antes deste programa de rádio começar, então ainda nem tive muito tempo para pensar sobre tudo isso.

 

Eu só — no caso improvável de que algo aconteça a mim — eu só quero dizer-lhes, ouvintes que os amo, e que sempre fiz o melhor para tentar trazer-lhes informações que os ajudassem a ser pessoas mais amorosas. Eu amo este planeta, amo as pessoas e quero ver o mundo melhorar.

Eu realmente sinto que todos nós sofremos, e que existiu muito medo. Trabalhei muito duro para criar esperança e fé, e para ajudar todos a criarmos o futuro que merecemos ter. E eu não esperava ser impedido dessa forma. Eu não acredito no medo, e sempre disse que preferiria morrer uma só vez nas mãos de um assassino do que morrer todos os dias com medo de um assassinato.

 

Eu farei o melhor para me recompor, para não fazer isso –

 

Cassidy: David, David, deixe-me lhe dizer que me deram a garantia de que as pessoas que lhe ameaçaram já teriam recebido a mensagem muito claramente – em alto e bom som

 

Wilcock: Okay.

 

Cassidy: – por parte das pessoas que entregaram a mensagem em nosso show hoje através de anônimo e que nela estavam contidas algumas frases-chave que a tornaram inconfundível para aqueles que sabem, que têm o conhecimento, por assim dizer, e que você está sendo vigiado e está seguro.

 

Wilcock: Okay.

 

Cassidy: Então, assim, eu quero que você se mantenha firme. Eu só quero que as pessoas compreendam que David Wilcock é um indivíduo extremamente corajoso, e que essas pessoas com as quais lidamos todos os dias têm uma quantidade enorme de coragem. E a coragem vem do coração, ok? E é isso que você está ouvindo. Você está ouvindo a reação emocional de uma pessoa que tem o chakra do coração muito ativo e que isso não é um sinal de fraqueza. Pelo contrário, é um sinal de força, se você tiver um coração enorme e sentí-lo muito profundamente em ambos os lados do espectro. Assim, quero que as pessoas compreendam o que está acontecendo aqui. Esta é uma rádio ao vivo e isso é o que vivemos realmente a cada dia –

 

Wilcock: Isso é verdade.

 

Cassidy: – Projeto Camelot, Project Camelot e as nossas testemunhas. Nossas testemunhas estão profundamente envolvidas, até hoje, com o que fazemos, com o que sai em nosso Projeto Camelot, e mais – na verdade, está nos livros de David Wilcock, e ele foi uma testemunha muito, muito próxima, envolvida com o projeto Camelot . Assim, quero que as pessoas compreendam que estamos juntos, que somos um grupo, e que as pessoas que viram nos vídeos são, na verdade, uma família de almas. E assim, eu e você sabemos, só queria dizer isso. Nós não temos muito tempo.

 

David, se há alguma coisa, dados que precise dizer nos próximos — você tem quatro minutos para expressá-lo. Assim, além dessa situação, existe alguma coisa que você precise dizer aqui e agora e que as pessoas devam saber?

 

Wilcock: Sim. Muitas destas bases subterrâneas foram completamente eliminadas. Tudo começou no dia em que meu livro saiu, uma na Virgínia e uma em Colorado. Muito mais aconteceu desde então e muito mais ocorreu no final do mês de setembro.

 

Os dois drones[1] que foram tomados– um no Irã e agora um outro, ontem, nas Seychelles — são parte permanente desta iniciativa extraterrestre. Os extraterrestres aparentemente tomaram esses drones, que nunca deveriam ter sido encontrados. Os iranianos os têm agora. Foram interceptados e foram-lhes dados por extraterrestres. As implicações disso são muito vastas, e este é o outro artigo que eu preciso escrever. Por isso,vou dizê-lo agora.

 

Os drones têm o mais avançado sistemas de orientação que qualquer tecnologia de engenharia reversa sobre a Terra. Foram completamente invadidos e tomados por extraterrestres. As pessoas de dentro o sabem, pois tiveram reuniões sobre isso no mais alto escalão. Isso significa que eles não têm defesa, então precisam de se retirar.

 

Não há nada que vocês possam usar para atacar as pessoas. Vocês não podem fingir uma invasão alienígena. Não podem fazer nada. Estão completamente expostos. E, vindo atrás de mim, estarão se metendo mais ainda em tormentas, já ouviram isso no show. Então, eu não quero ser prejudicado. Deixem-me fazer o que devo. Eu não vou dizer o nome de ninguém. Não vou fazer nada que prejudique qualquer pessoa. Tudo o que quero fazer é falar sobre esta história.

 

Mas a derrubada dos drones é um elemento muito importante desta história. As pessoas que estão fazendo isso não estão tentando invadir o planeta, nem destruí-lo. Fizeram-no porque não querem que vocês bombardeiem o Irã. Não querem que criem a Terceira Guerra Mundial no Oriente Médio e não querem que criem um incidente internacional.

 

Terão de aceitar essa mudança e deixar o poder. Terão que aceitar a mudança do sistema econômico. Vocês odiaram o público e não quiseram que as pessoas tivessem o dinheiro de que precisam para viverem uma vida feliz. Vocês têm que mudar. Estão sendo forçados a isso por todos os lados.

 

Eu sei que é assustador. Eu sei que vocês querem me atacar e ameaçar minha vida, porque estão com medo. E é algo com o qual todo mundo ganha. Assim, damos-lhes a anistia, mas vocês têm que cooperar.

 

[Música se eleva]

 

Obrigado a todos pela atenção. Eu realmente agradeço a entrevista.

 

Cassidy: Muito obrigado. Este é o Projeto Camelot. Obrigado. Teremos o show disponível em uma hora na Radio Liberdade americana. E por favor, distribuam isso por todo o mundo. É de vital importância que chegue a todos os lugares. Obrigado.

Tradução minha, Flavia Criss.


[1] NT: Os drones representam o que há de mais moderno em aeronaves não tripuladas de finalidade estratégica militar em países cujas forças armadas utilizam os recursos de tais artefatos. Basicamente, a diferença entre um drone e uma aeronave não tripulada, é que o drone possui toda uma sistemática envolvendo robótica e funções de hardware e softwares capazes de garantir elevada autonomia para as mais diversas missões, com a menor intervenção humana.

4 comentários sobre “Transcrição da Entrevista de David Wilcock na Rádio Whistleblower, 14 de dezembro de 2011

  1. Propagador

    Flavia Criss, agradeço imensamente pela tradução e transcrição. Sei como deve ser trabalhoso, mas adoraria ver novas transcrições do Projeto Camelot postadas em seu blog! Muito obrigado.

    1. Caro Propagador,

      Sou muito grata pelo carinho e atenção de suas palavras.
      Tenho certeza de que verá outras transcrições e traduções neste Blog (mesmo do Projeto Camelot), pois é nisso que tenho trabalhado ultimamente.
      Disponha, sempre sempre e sempre. Este é um espaço de Luz e Verdade.
      Agradeço-lhe muitíssimo por ser mais um propagador.
      Namastê 😉

  2. Olá Flávia, sim essa entrevista foi marcante, ainda mais o texto em duas partes que consta no site do David (http://www.divinecosmos.com/start-here/davids-blog/995-lawsuit-end-tyranny). Já houve desdobramento após essa entrevista. Parabéns pela tradução, aliás por tudo que tens colocado no seu blog seguindo seu propósito de compartilhar, zelando pela qualidade e integridade do material. Peço-lhe a gentileza de visitar meu fórum aqui onde tenho feito divulgação da Inélia Benz, tem o mesmo propósito seu: http://soubem.forumais.com/t307-inelia-benz#635 Outras informações no http://www.portalquantum.com Grato mais uma vez. Paz.

    1. Olá Alexander!
      Agradeço-lhe a visita 😉
      Estou traduzindo este texto a que se referiu do Wilcock. É um texto bem longo, mas em breve estará aqui traduzido neste Blog e em outros, nos quais publico como convidada.
      Vou visitar sim seu Fórum, como todo prazer!
      Sou muito grata a vc pelo seu trabalho. Informação é Luz, então façamos a nossa parte!
      Luz e Amor!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s