Vivendo uma Vida com Propósito

Quero que você considere a possibilidade de que a sua chegada aqui na Terra nesse  tempo  não  é  um  acidente, não  é  uma  coincidência, nem  é  um acontecimento ou acaso. Você está aqui agora com um propósito. E você está
pronto, agora, para viver a sua vida com propósito.
Você está escolhendo agora que ela tenha um propósito – ou não estaria lendo este  livro. Você é PARTE DA TRANSFORMAÇÃO, e sabe exatamente o que isso  significa, o que  vai  fazer com o que você seja,  o que faça, o que tenha e o significado para o planeta,  para nossos filhos e para os filhos de nossos filhos.

Neste momento, você está apenas procurando duas coisas: colaboração e direção coletiva. Você quer pessoas com as quais possa colaborar, pois sabe muito  bem  que  este  não  é  o momento  de  tentar  “caminhar  sozinho”,  e  quer ver todos caminharmos na mesma direção, de modo que  não giremos  nossa  roda  e  gastemos  nossa  energia de forma a não produzirmos  nada substancial.
Então, você veio para cá. Aqui, entre outros lugares. Usando este, entre outros recursos.  E  é  bom  que  tenha  feito  isso,  pois muitos  outros  estão  fazendo  o mesmo agora. Antes que acabe este livro, poderão ser milhares. Na verdade, espero que sejam.
Assim, aqui estamos juntos, você e eu. Aqui estamos nós, com todos os outros. Então, vamos ver juntos o que podemos fazer, agora, de maneira prática, para nos experienciarmos,  para  nos  manifestarmos  como  parte  da transformação.
Eis algumas  idéias que  tenho sobre o assunto. Eis dez coisas que  eu  acredito que possamos  ser,  fazer  e  ter,  de modo  a  nos  tornarmos  a mudança que desejamos ver:
1.  Apresentarmo-nos uns aos outros
2.  Concordarmos uns com os outros
3.  Alinharmo-nos uns com os outros
4.  Pararmos de nos separar de Deus
5.  Começarmos a viver as verdades que dizemos acreditar
6.  Comprometermo-nos a ser conhecidos, comprometermo-nos a ser
livres
7.  Comprometermo-nos a ser líderes e esquecermo-nos do resultado
8.  Lidarmos com o desapontamento e redefinirmos o fracasso
9.  Realizarmos, praticarmos, continuarmos
10.  Nunca aceitarmos o não como resposta

Tudo  isso  é  fácil.  Tudo  isso  é  possível.  E  tudo pretende  produzir  um simples resultado: MUDAR A IDÉIA DA HUMANIDADE SOBRE SI MESMA.
Essa é a meta. Essa é a intenção. Esse é o resultado possível. É a única questão que realmente existe.

Quando  eu  era  criança,  meu  pai  costumava  me  fazer  a  mesma  pergunta repetidamente.  Eu a ouvia  com tanta frequência que  ainda ouço até hoje sua voz “buzinando” em meu ouvido. Várias vezes, desde que eu tinha cinco ou seis anos e até meus dezesseis (acho que depois disso ele simplesmente desistiu), meu pai continuava me perguntar: Quem você pensa que é, afinal…?
É claro que isso não era um interrogatório. Na verdade, meu pai estava tentando me fazer parar de agir do jeito que eu fazia.

Agora temos uma oportunidade de fazer outras pessoas – em todo o mundo – pararem de agir do jeito que estão agindo, ao perguntarmos a mesma coisa: Quem vocês pensam que são, afinal…?
Essa é a única pergunta que existe. Não há mais nada para perguntar. E uma vez  respondida, uma vez que tivermos dado a ela uma resposta mais elevada, teremos mudado o mundo.

Qual é  “a  resposta mais elevada”? É — para usar a  linguagem de Conversando com Deus — a versão mais elevada da maior visão que já tivemos sobre o que somos.
É  a  nossa  idéia  mais  elevada  sobre  nós mesmos:  a  maior  noção  que  pudermos imaginar.

Surpreendentemente,  poucas  pessoas  pensam nisso.  Raramente se pensa nisso como sendo algo que se relaciona a cada um de nós e nunca se pensa nisso como sendo algo relacionado à humanidade em geral.
Pergunte-se,  agora  mesmo,  qual  é  a  versão  mais  elevada  da maior visão que você  já  teve sobre si mesmo? Ao menos  tem uma visão sobre quem você é? Se  tem, é minoria. Se não tem, por quê não cria tal visão?

Você é uma pessoa que transforma o mundo? (a propósito, mudar o mundo relaciona-se com mudar o mundo ao seu redor. Se “mudar o mundo” parece um trabalho muito difícil para você, pense nisso como “mudar a experiência, a compreensão e a percepção das pessoas ao seu redor – as pessoas cuja vida você toca”. Isso você pode fazer, não? É claro que pode. E ao fazer isso, você muda o mundo. Porque toda mudança para melhor que você produzir na vida de outrem é passada para outras pessoas cujas vidas são tocadas e então, propaga-se através desses outros para mais pessoas.Você acredita  nisso?  Eu  garanto  que  é verdade.  Todas  as  pessoas  que mudaram o mundo partiram de alguma outra pessoa!)

Então,  você  é  uma  pessoa  que  transforma  o  mundo?  Ótimo.  Nesse sentido,  o  que lhe “parece”  ser  a  versão  mais  elevada  disso?  O  que  seria  progredir  para  o próximo nível dessa experiência?

É  sobre  isso  que falamos  aqui.  Nosso  mundo  mudará  quando  as pessoas  mudarem  sua  idéia  sobre  ele.  As  pessoas  de  nosso planeta mudarão quando mudarem  suas  idéias elas! É simples assim.

Nós  temos que nos perguntar, olhando no espelho, Quem você pensa que é, afinal…?
Assim,  quando  tivermos  decidido,  quando  tivermos  criado  a imagem da nossa versão  mais  elevada, poderemos  trilhar os  dez passos  simples  descritos  aqui  e teremos assumido  nosso  papel  como  facilitadores espirituais.

É isso o que a vida está buscando neste momento: facilitadores espirituais, já  claramente  declarado  em  As Novas Revelações,  em O Deus  do Amanhã e  em O  que Deus Quer, ou seja: nosso mundo  está  enfrentando  um  dilema espiritual de primeira ordem.

Eu não quero tomar muito espaço neste livro repetindo o que foi dito antes em CcD, mas permita-me, por favor, repetir um ponto pois é de  importância vital que o compreendamos porque a partir dele se prepara o palco para tudo o que se desenrola neste livro.

A humanidade  tentou, por séculos, resolver seus problemas em muitos níveis, mas não abordou os  problemas, e  continua  a  fazer  isso até hoje.
Como é dito no livro O que Deus Quer…, nós encaramos nossos problemas  como  se fossem problemas políticos, abertos a soluções políticas. Falamos deles, promovemos debates sobre eles, tomamos decisões a respeito deles. Quando nada muda, procuramos resolver os problemas por meios econômicos.  Injetamos  dinheiro  ou  retiramos  dinheiro por meio de multas. Quando isso falha, dizemos, aha, esse problema é dos militares e o resolveremos  pela  força.  Então,  jogamos  bombas.  Isso  também  nunca funciona. Se  é solução  a longo  prazo o  que  todo mundo  procura, será que entenderemos isso?
Não. Apenas recomeçaremos todo o ciclo. A razão de continuarmos correndo sem chegar a lugar nenhum, como um rato na roda, é que ninguém ousa olhar a causa da condição atual a qual parecemos fadados a fazer perdurar. Talvez não saibamos realmente ou temos medo de admitir que o nosso maior problema hoje não é um problema político, não seja um problema econômico ou militar.
O problema que a humanidade enfrenta hoje é um problema espiritual.
Tendo uma vez compreendido isso,a solução  torna-se óbvia, mas até que seja compreendida, foge a todos.
As pessoas acreditam que é isso o que cria seus comportamentos. Portanto, a nível da crença e não a nível comportamental  é que se pode modificar um comportamento, efetivamente.

Durante décadas demos palestras a grupos da área de psicologia sobre a possibilidade de modificação do comportamento, mas devíamos ter abordado a possibilidade de modificação das crenças.
Se pretendemos mudar as coisas em nosso planeta, deveremos todos nos tornar facilitadores espirituais, a maioria já concorda com isso. A questão é, como fazer isso?

Bem, eis os dez passos que poderão nos  conduzir nessa tarefa. São simples, mas poderão não ser tão fáceis quanto se imagina, pois depende realmente da veracidade do seu desejo de chegar até onde você diz que deseja ir.
Será requisitado que você, nesses passos, rearranje totalmente seu pensamento.
Você será convidado a alterar suas percepções anteriores sobre muitas coisas.
Você  será  solicitado  a  ler,  ler,  ler, pois  este  será  um  pequeno  curso  de transformação.  Você  vai  ser até  convidado  a  explorar  alguns  programas  de crescimento pessoal e atividades que possam mudar a sua vida.
Assim, esses dez passos são excitantes. Alguns são  inesperados. Todos são transformadores.

Neale Donald Walsh, Parte da Transformação: seu papel como facilitador espiritual. pp 4, 5, 6. Trad. Sandrinha Barroca. Revisão de Flávia Criss, Abr/2010. (não publicada)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s