O MEDO É O SEU PIOR INIMIGO

Há alguns anos eu estava trabalhando como médico da delegação brasileira em uma competição internacional, quando uma iatista interrompeu o meu café da manhã falando:

– Doutor, o senhor viu o vento hoje?

Percebi seu rosto tenso e angustiado e respondi:

– Não, não vi.

Ela, então, quase em um desabafo, falou:

— Está péssimo!

Percebi aonde ela estava querendo chegar e rapidamente falei:

– Está péssimo só na sua rota?

Ela, sorrindo, respondeu:

– Não! Está péssimo para todo mundo!

Então completei:

— Para uma iatista não existe vento péssimo, porque ele é igual para todos os atletas. Quem decide a qualidade do vento é quem está competindo. Alguém ganhará a prova hoje, e, por favor, dê um jeito de ser você, porque estamos todos na torcida.

A impressão que tive foi de que ela saiu sorrindo um pouco mais tranquila.

Os ventos da vida sopram para todos, e cabe a cada um saber utilizá-los.

O vento fica ruim para quem vive com medo, porque aqueles que têm coragem de avançar sempre estarão na frente.

As pessoas estão assustadas. A desculpa para a insegu­rança nesse momento é a crise (e não importa em que ano você está lendo este texto, com certeza está acontecendo uma crise no mundo e em sua vida).

Mas o importante é estar consciente de que é preciso avançar, pois, como diz o professor Herbert Steinberg, as pessoas não percebem que uma crise é um aviso de que alguma coisa mudou definitivamente. Quando acontece uma crise, as pessoas ficam se perguntando quando ela passará, na esperança de que a situação volte a ficar como era antes de ela surgir. Contudo, as coisas nunca voltam ao que eram antes de uma crise, pois esta cria uma nova realidade, e cada um de nós tem de evoluir para atuar nessa nova condição.

Um jovem que sai de casa e quer ter a própria auto­nomia nunca mais voltará a ser aquele filho obediente do passado.

A esposa que volta a trabalhar depois de muitos anos somente cuidando da casa nunca mais voltará a ser sub­missa.

A velocidade dos negócios nunca volta ao ritmo de antigamente.

Cada mudança na vida exige uma nova atitude, que tem de estar alimentada pela confiança, pois amar com medo é perigoso, trabalhar preocupado é abrir as portas para o fracasso e, principalmente, viver com medo é mor­rer mantendo o corpo vivo.

Quando as pessoas me perguntam se confio em nosso governo ou na economia, respondo que não confio nem deixo de confiar. Aliás, digo que não preciso confiar neles.

A verdade é que confio apenas em três forças nessa vida: primeiro, e mais que tudo, confio em Deus. Sei que, por pior que pareça estar a minha vida, Ele sempre está por perto, cuidando de mim.

Segundo, acredito e confio nas pessoas. Sei que cada uma tem um sonho e que, se eu ajudá-las a realizar esses sonhos, elas também ajudarão a realizar os meus.

Terceiro, confio em mim mesmo. Sei que, independen­temente de eu estar cansado ou doente, na hora “H” farei o que precisa ser feito.

A confiança é a melhor vacina contra a insegurança e as preocupações.

O mundo está tomado pelo medo, e parece que viver assustado passou a ser um estilo de vida. A insegurança mata a alegria de viver, pois o medo é o seu pior inimigo.

As pessoas estão preocupadas demais, e não falo somente de momentos dramáticos, mas do dia a dia das pessoas. Até nos momentos de celebração as pessoas ficam preocupadas.

No dia do casamento, muitos noivos não conseguem desfrutar um dos dias mais importantes de sua vida porque ficam preocupados se tudo dará certo.

No dia em que a pessoa é promovida, frequentemente ela fica tão preocupada em dar conta da função que não comemora a sua vitória.

No primeiro dia de aula dos filhos, há pais que preferem ficar tensos, com medo do futuro de suas crianças, em vez de comemorar esse momento lindo na vida da família.

Os momentos dramáticos da vida, como o fim de um grande amor, a perda de uma pessoa querida, a demissão de uma empresa especial ou até mesmo um problema com um filho, tornaram-se um passaporte para o desespero.

O medo não pode ser nosso companheiro de viagem.

No máximo pode ser uma placa na beira da estrada assina­lando uma curva perigosa. Por isso, confie e siga em frente!

Quando suas vitórias acontecerem, celebre-as com muita alegria. Quando os desafios acontecerem, trabalhe forte para superá-los. Quando as soluções parecerem im­possíveis, olhe para o céu e lembre que Deus cuida de você, pense nas pessoas com quem você pode contar, por mais distantes que elas possam estar, e olhe para dentro de si mesmo. Perceba que esse desafio é apenas mais um em sua vida e avance. Vá em frente até testemunhar a sua vitória.

Nos momentos de decisão de nossa vida, o mais importante é ter a coragem de confiar e lutar até o final. Porque desistir é um verbo que não deve haver em nosso dicionário.

Roberto Shinyashiki em A Coragem de Confiar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s