Seth fala sobre: A Natureza da Realidade Pessoal (parte 7 B)

161
… Eu simplesmente quero salientar a diferença entre a agressividade saudável e natural e o surgimento explosivo e distorcido da agressão reprimida …. nas áreas em que você reprime fortemente os seus pensamentos, os bloqueios de energia deverão ser encontrados.

… o homem começou a acreditar em demônios quando ele começou a ter a sensação de culpa. A culpa em si surgiu com o nascimento da compaixão.

162
O nascimento de uma mente consciente, assim como você a concebe, sugere que as espécies tomaram para si o livre arbítrio.

164
A culpa é o outro lado da compaixão. Seu propósito original era permitir que você se identificasse em um nível consciente consigo mesmo e outros membros da Criação, de modo que você pudesse controlar conscientemente o que antes era tratado apenas em  nível biológico. Portanto a culpa, nesse sentido,  tinha um forte embasamento natural e quando foi pervertida, mal utilizada ou mal entendida, traz aquela enorme energia aterrorizante muito comum em qualquer fenômeno de fuga.

165
… em seu medo dos pensamentos negativos, muitas vezes você tenta negar toda a sua agressividade natural de forma que no primeiro vislumbre de seu surgimento você faz emergir os anticorpos mentais já prontinhos para agir. Ao fazê-lo, você tenta repudiar a validade de sua própria experiência. Se não sentir a sua realidade individual, não poderá nunca perceber que é você quem a produz e por isso pode mudá-la. É essa negação da experiência e os bloqueios de energia envolvidos que causam o acúmulo desnecessário da culpa “não natural”. O seu próprio corpo não consegue compreender as mensagens bloqueadas e grita para exprimir o seu próprio conhecimento corporal no momento em que vivencia a experiência e você mentalmente grita em tais situações nas quais não sente o que deveria sentir.

Durante um certo período, a mente consciente, por causa de posição que ocupa, pode substituir as mensagens emitidas pelo corpo. No entanto, o acúmulo da bagagem de energia buscará saída e o menor e mais inocentes símbolo expressivo para o material reprimido pode então suscitar comportamentos de sua parte que parecem fora de proporção em relação ao estímulo.

166
… Você tenta ser tão bom justamente porque se acha tão ruim e sem valor.

167
De um modo geral, você está aqui para expandir sua consciência, para aprender os caminhos da criatividade, conforme a direção do seu pensamento consciente. A mente consciente pode mudar suas crenças, e assim, em grande medida pode alterar a sua experiência corporal.

“Não matarás” mais do que o necessário para teu sustento físico.

“Não violarás” … porém uma margem deve ser deixada para a sua própria interpretação.

Uma mentira deslavada pode ou não ser considerada uma violação … Tendo uma porção normal de pensamentos agressivos não é uma violação.

Agir com violência contra o seu corpo ou contra outra pesoa, é uma violação. Agir com violência contra o espírito de outra pessoa é uma violação, mas … pelo fato de vocês serem seres conscientes, as interpretações são suas.

Matar protegendo seu corpo da morte nas mãos de uma outra pessoa através do contato imediato é uma violação. Se houver ou não qualquer justificativa aparente, a violação existe … Você pode combater esse tipo de ataque de diversas formas que não envolvem matança. Você não estaria nessa situação hipotética, para começar, a menos que alimentasse seus próprios pensamentos violentos, obscura ou expressamente, atraindo-a para você. … ordens de paz expressas de forma agressiva, enérgica, ativa, mental ou falada, podem salvar sua vida em tal caso.

Quando você acha errado ter pensamentos agressivos, usando esta analogia, nem sequer permite que o sistema purifique-se, mas tranca os “venenos” lá dentro.

Já que o acúmulo ocorre na carne, a mesma coisa pode acontecer com sua experiência mental. No campo físico, você poderá acabar com um problema muito grave, e no campo mental e emocional, poderá causar a escassez de suas forças naturais que resultarão no acúmulo de estruturas ideológicas doentes que permanecerão isoladas de outros conceitos mais saudáveis. Estes aspectos podem se assemelhar ao crescimento da falta de oxigênio … que encontram acesso livre ao fluxo de outras partes de sua experiência consciente.

170
Os controles foram necessários para que a mente consciente — separada dos tabus inatos aos animais –pudesse fugir em si mesma. Assim, a culpa, a culpa natural, depende da memória.

A coleção das culpas artificiais mais reconhecidas que fora construída através dos séculos causou  um acúmulo de energia reprimida tão grande, que a sua liberação resultou em ações violentas.

Nesses termos, a superpopulação é uma violação. Porém nos caso de guerra e de supercrescimento, a espécie tem ignorado a sua culpa natural.

172
Muitos dos seus problemas resultam do fato de que você não aceita a responsabilidade por sua própria consciência, que deveria avaliar a realidade que é inconscientemente formada como uma réplica direta dos seus pensamentos e expectativas.

Quando você não abraça esse conhecimento consciente e o recusa,  não está usando uma das melhores “ferramentas” já criadas pela sua espécie e está negando em grande parte o seu direito desde o nascimento e sua herança.

Quando isso acontece, as espécies, de modo geral, procuram vestígios de antigos instintos que não foram orientados para funcionarem em conjunto com a mente consciente e racional e não compreendem a sua experiência ou aqueles instintos  que vêem o “momento de reflexão” como uma simples negação impertinente do impulso. Assim, o homem perde a plena utilização do instinto dos animais, graciosamente regulado e ainda nega a discriminação consciente e emocional que foi dada a ele em substituição.

172
Os “demônios” ou as suas projeções são então transferidos para um inimigo nacional ou o líder de outra raça; por vezes massas inteiras da população  projetam sobre outros grandes grupos as imagens de suas próprias frustrações não confrontadas. Até mesmo na obra de Augusto você encontra o herói e o vilão separados e diversificados. Assim como um homem pode ser dividido, o mesmo pode acontecer com uma nação e um mundo…e também assim pode acontecer com uma espécie… e uma família pode ser também dividida, e um de seus  membros sempre aparece como um herói e outro como um vilão ou o demônio.

173
A culpa natural é um mecanismo criativo, destinado a servir como um estímulo consciente na resolução de problemas que, em seu ambiente, nenhum outro animal já teve. Quando tira proveito disso, você se lança através de fronteiras desconhecidas e rompe com dimensões da consciência que sempre estiveram latentes desde o nascimento da mente consciente.

A culpa natural, se respeitada, é um guia sábio que traz junto com ele não só a integridade biológica, mas o desencadeamento de aspectos de atividades da consciência que deveriam permanecer fechados.

175 [sobre a “bondade natural”:]
Você pode ignorá-la. Você pode cultivar crenças que te impeçam de reconhecer a sua existência. Você ainda vai ser agraciado por ela, mas será incapaz de perceber sua própria singularidade e integridade e será cego também a outros atributos que lhe fazem automaticamente abençoado.

176
O cão pode se lembrar onde viu pela última vez o seu mestre, mas sem ser capaz de invocar sua memória e operar com o tipo de associações mentais que você usa. Suas conexões serão de natureza mais biológica e não irão fornecer a margem de interpretação que as suas próprias condições mentais lhe permitem.

Com a grande liberdade prevista pela mente consciente,  o homem pode desviar-se de sua grande alegria interior, esquecê-la, acreditar nela ou usar o seu livre-arbítrio para negar a sua existência.

Quando o homem não violou, ele esteve ciente de seu próprio estado de graça. Quando ele violou, voltou à consciência celular, como acontece com os animais, mas sentiu-se conscientemente separado dela e negado.

A simplicidade natural da culpa não o conduz àquilo que você pensa ser a consciência, ainda que esta também seja dependente desse momento de reflexão que, em grande medida, o distingue dos animais. A consciência, como você pensa, é provocada por um dilema e um mal-entendimento das condições estabelecidas em relação à sua existência física. A Consciência surgiu com o aparecimento da culpa artificial.

177
A mente consciente é uma fabricante de distinções. Ela traz à consciência  gestalts completas de todo o material previamente inconsciente, então o monta e o organiza sob uma forma sempre mutável. Através do foco proposital, literalmente, uma quantidade infinita de dados  pode ser classificada inconscientemente e então apenas os elementos desejados vão surgir … … é a capacidade da mente consciente de sobrepor, misturar, fundir e reorganizar a percepção e a experiência.

178
Como existe a simultaneidade, a punição não faz sentido. O castigo e o evento pelo qual você foi punido, existem ao mesmo tempo, e já que não existe passado, presente e futuro, você poderia muito bem dizer que o castigo veio primeiro.

[Reencarnação:] A teoria é uma interpretação da mente consciente em termos lineares. Por um lado é altamente distorcida. Por outro lado, é uma interpretação criativa, como a mente consciente joga com a realidade como ela entende aqui. Mas em termos usados ​​aqui, não há karma a ser pago como punição, a menos que acredite que existem crimes pelos quais você deve pagar.

Em ampla persectiva, não há causa e efeito,  ainda que esses sejam os pressupostos basilares de sua realidade … voltamos mais uma vez para aquele momento de reflexão, pois é aqui que tanto as causas como os efeitos aparecem pela primeira vez. … Os animais — cada um em seu próprio nível , bem mais inferiores que o seu — demonstram ter a reflexão. Para alguns, para todos os efeitos, não existe. No entanto, está lá, latente.

180
As múltiplas existências, … são simultâneas e abertas. Em seus termos, a mente consciente está avançando em direção ao reconhecimento do papel que deve desempenhar em relação à realidade multidimensional. É o suficiente para que você entenda a sua parte nesta existência. Quando você compreender plenamente que forma com aquilo que pensa a sua realidade atual, todo o resto vai se encaixar.

Suas crenças, pensamentos e sentimentos são instantaneamente materializados fisicamente. Sua realidade terrena ocorre simultaneamente com o seu início, mas no mundo dos lapsos de tempo não parecem ocorrer juntos. Então eu digo:  um causa o outro ( e vou usar esses termos para ajudar você a entender), porém todos ocorrem de uma só vez. Assim acontece com as suas múltiplas vidas, que ocorrem como a realização imediata de seu ser,  com a extensão natural de sua capacidade multifacetada.

“Ao mesmo tempo” não quer dizer um estado de produto acabado da perfeição, nem uma situação cósmica em que tudo foi feito, pois todas as coisas ainda estão acontecendo. Você ainda está acontecendo, mas os seus dois eus — presente e futuro — e seu próprio eu passado ainda está passando por você, quando acha que já está feito. Além disso, está ainda experimentando eventos dos quais você não se lembra e que a sua consciência  sintonizada linearmente não consegue perceber naquele nível.

… a juventude pode ser fisicamente “prolongada” muito além de sua duração presente …

(Como uma respiração) É assim que as suas vidas entram e saem de você — que é você e não é. E uma parte de você, quando as deixa ir, se lembra delas e conhece a sua viagem. … Assim as vidas que você viveu não são você, mas são feitas de você.

Tradução minha, Flavia Criss, em Março de 2011.

Fonte: http://sethquotes.paradisenow.net/seth_excerpts_part_i.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s