A canalização

Nós mal começamos a compreender o potencial da mente humana. Nossa capacidade de perceber realidades não-físicas e de nos comunicar com a inteligência que existe em outras dimensões está apenas no início. A compreensão dessa capacidade torna-se ainda mais intrigante para nós na medida em que também vemos as patologias de certas doenças mentais. Tememos as pessoas que ficam incapacitadas e confusas pelas vozes que ouvem e as coisas que vêem. Porém, as pessoas comuns e equilibradas podem ter comunicação espontânea com seres não-físicos através de uma experiência que  as aproxima da morte ou de um estado de consciência alterado induzido por doença, trauma, drogas, uma experiência de abandono do corpo, a prece intensa ou uma percepção espiritual exacerbada.

Nós existimos em muitas freqüências de energia não-física — emocionais, mentais e espirituais. Assim como alguém pode pegar o cursor de um computador e movimentá-lo como quiser, há aqueles que têm a capacidade de movimentar sua consciência à vontade para outros níveis de percepção. Essas pessoas conseguem focalizar sua consciência a seu bel-prazer em qualquer freqüência disponível. Pessoas de todas as áreas culturais, psicológicas e religiosas transmitem comunicações com outros seres nessas freqüências. Quando elas transmitem essas comunicações, dizem que elas estão canalizando. A linguagem da comunicação com outras dimensões que é encontrada na literatura espiritualista, esotérica e parapsicológica varia e há bem poucas definições exatas. Contudo, essa experiência de comunicação interdimensional é tão universal — e no entanto ainda tão misteriosa — que as definições do fenômeno devem ser criadas e contextualizadas.
Um “canalizador” ou médium pode colocar inteiramente de lado o senso de eu pessoal e dar a impressão de que outra inteligência está falando através dele. Sua voz e a linguagem do seu corpo se alteram. Essa pessoa pode ser conhecida como um médium de incorporação. Outro “canalizador” não abandona o senso pessoal do eu para entrar em contato com outra inteligência e mantém a própria voz, os maneirismos e a identidade pessoal. Esses indivíduos são freqüentemente conhecidos como médiuns — o que significa que eles servem de ponte entre mundos de percepção — mas permanecem repórteres de outras inteligências; não são criadores.
As pessoas vêm canalizando — recebendo orientação do Espírito — desde que existem no mundo. As Sagradas Escrituras no mundo todo estão repletas de sabedoria, visões e sonhos creditados a seres não-físicos. Desde a Bíblia Sagrada cristã até o Bhagavad Gita hindu, das profecias de um xamã até o moderno Course in Miracles [Curso sobre Milagres], Deus vem ensinando aos humanos os desígnios divinos através de anjos, guias, guardiães, mestres, parentes falecidos, médicos espirituais, santos, mestres supremos, irmãos e irmãs do espaço e seres de realidades alternativas.
A canalização tem estado entre nós desde tempos imemoriais e ainda hoje continua tão misteriosa como sempre foi. Embora pareça anacrônica numa sociedade materialista e tecnológica, o fato é que milhões de pessoas sãs e instruídas continuam acreditando na comunicação do Espírito. A própria palavra canalização é bastante vaga. Ela cobre tudo, desde a inspiração espiritual individual até as mensagens de outras dimensões. Para uma pessoa, significa que as palavras e idéias “ouvidas”, sentidas ou percebidas são literalmente as de outra inteligência. Para outra, significa que as palavras e idéias vêm diretamente de Deus. Para outra, ainda, significa que as palavras e idéias emergem do potencial superior que há dentro do Eu.
No sentido mais genuíno, a canalização tem que ver com o fato de estarmos sintonizados com a própria orientação superior dentro de nós mesmos e permitir que essa orientação penetre na nossa mente consciente e na nossa vida física. Ela nos coloca em ritmo com a energia do universo e possibilita que essa energia flua através de nós. O plano material é demasiado denso e está repleto de preocupações. A Luz Pura é amor puro, e nós atuamos como canais todas as vezes que levamos esse amor aos lugares onde há medo. A Luz Pura se reduz enormemente nesta dimensão. Se assim não fosse, provocaria um curto circuito no nosso sistema nervoso. Quando rezamos, canalizamos e mantemos  pensamentos de cura, agimos como um transformador elétrico que converte a energia de uma freqüência para outra, de modo a não sobrecarregar os circuitos.
A canalização pode ser uma excelente ferramenta para ajudá-lo no estágio do despertar; porém, não há campo maior para uma imaginação superativa, uma decepção consigo mesmo, e a possível decepção — e até mesmo exploração — dos outros do que a canalização. Ela está repleta de perigos potenciais para as pessoas psicologicamente vulneráveis. Entretanto, é tão supersticioso desprezarmos um fenômeno que não está ao nosso alcance como acreditar em tudo o que ouvimos. É impossível abrir um compartimento para  isso na lógica mas, quer entendamos quer não, lá está ele. Assim, tudo o que realmente podemos fazer a essa altura é manter a mente aberta, ficar atentos à nossa orientação superior e ao nosso próprio bom senso e explorar esse recurso para nós mesmos.

As 7 Etapas de Uma Transformação Consciente, p. 173

Foto: Hot Grill

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s