O Tempo Urge

money-going-out-of-a-magician-hat_1133-57-1

Photo: Dooder@Freepik.com

 

Você está percebendo o quão rápido estamos mudando recentemente?

Os dias parecem muito mais curtos, as informações trafegam com muito mais facilidade e rapidez entre continentes e nossos desejos se manifestam muito mais rapidamente. Estava refletindo sobre isso hoje, cá com meus botõezinhos nessa nublada manhã.

Não sei se já comentei aqui, provavelmente sim, mas vou reiterar, porque ainda estou assim: continuo não sendo uma pessoa que nutre simpatia pela Bíblia, de modo geral. Porém, ultimamente ao ler textos de Seth e do RA Material (muito estudado por David Wilcock; certamente vou postar artigos sobre esse material es-tu-pen-do que encontrei em inglês, por enquanto, me aguarde) eu tive que recapitular ao me lembrar de uma das máximas cristãs muito citadas durante o período da minha infância, que foi quando tive que ter contato (meio que  “obrigatoriamente” mesmo) com a Bíblia. Assim, depois de pesquisar, obviamente, encontrei a informação de que se trata do primeiro capítulo do Evangelho de João, que diz ( lembra?): “No princípio era o Verbo.”. E depois o texto segue até a linha 14, que diz ” E o verbo se fez carne (…e blá blá blá)”.

Bom, por quê me lembrei disso? Porque é exatamente esse o teor da ideia de Seth, a qual revesti da minha expressão para dar a definição do Blog: primeiro temos uma ideia e depois — logo depois, quase imediatamente depois, se observarmos esses últimos tempos — ela se manifesta e a experienciamos “realisticamente”, ou seja, vivemos “na carne” a nossa dita-cuja-ideia.

Caramba, isso é muito grande, não é não?

Olha só o que Seth diz: “Você não pode fugir das suas ações, pois elas formam a natureza do que você vê”.

OK, vamos absorver o enunciado por partes: eu e você e todos nós vemos à nossa volta e no mundo o resultado do que agimos ou ordenamos; nós vemos o nosso “verbo” manifestado, ou seja, nossa ideia já na ação, já no verbo encarnado ou materializado (lembra que a gente aprende na escola que “verbo é ação”? ). Sim, nossas ideias se manifestam, viram coisas sólidas, viram “carnes”, a todo minuto, segundo em que continuamos pensando/tendo ideias. E a gente não pára de pensar, só quando medita. Sentiu a grandeza da coisa?

Daí Seth continua: “Literalmente, você vê o que quer ver; e o que você vê são seus próprios pensamentos e atitudes emocionais materializados em forma física.”

É não é? Sim, vemos isso todo dia, achando que é a “vida”, o “destino”…sendo que são as nossas próprias ideias de cada minuto ou segundo, desfilando bem ali na nossa frente!

Seth continua: “Se for para haver mudanças, terão que acontecer no plano mental e psíquico. Essas serão refletidas em seu ambiente.”

Carácoles, como isso é, ao mesmo tempo, simples e sério! Simples, porque não temos que fazer grandes travessias ou atos públicos, nada disso; e sério, porque demanda uma grande responsabilidade pessoal a postos e presente a todo minuto, para realizar mini- faxinas mentais e administrar mínimos objetivos pessoais que se tornam públicos, obviamente, pois somos todos Um, certo?

Ok. Bom, mas tem mais um bocadinho, aguenta aí: “As atitudes negativas, desconfiadas, temerosas ou degradantes cometidas contra qualquer pessoa irão funcionar contra você mesmo.”

Esse enunciado fecha com chave de ouro esse trecho, que trago abaixo na íntegra, em Inglês, e me deixa aqui pensando bem conscientemente todas as maravilhas que eu quero que aconteça com você que me lê e com todas as pessoas com quem eu interajo, de uma forma ou de outra. O tempo urge agora.

“You cannot escape your own attitudes, for they will form the nature of what you see. Quite literally you see what you want to see; and you see your own thoughts and emotional attitudes materialized in physical form. If changes are to occur, they must be mental and psychic changes. These will be reflected in your environment. Negative, distrustful, fearful, or degrading attitudes toward anyone work against the self.”

Esse tempo/hiato de pensamento/manifestação está se tornando extremamente imediato.

Então, o nosso auto-trabalho tem que ser mais pontual e efetivo, você concorda?

 

Tradução e texto meus, Flavia Criss.

Califórnia, 13 de Outubro de 2016.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s