O Processo de Envelhecimento Humano Não é Obrigatório (ou Envelhece Quem Quer)

17458-forever-young

Estava procurando por informações na internet e deparei-me com o site Angelic Guides e esse artigo em que os guias angélicos da canalizadora Taryn Crimi avisam sobre o processo desnecessário de envelhecimento dos humanos aqui nesse planeta.

As notícias são muito boas! Tão boas que decidi fazer esse texto sobre o texto original em Inglês, traduzindo-o, comentando-o e juntando outras ideias para nos ajudar a parar com essa história de ficarmos velhos, flácidos e decrépitos, credooo.

Que história mais chata essa de envelhecimento, você não acha? Affff.

Pois os seus, os meus e os nossos problemas se acabaram! Senta que lá vem a história que eu já te conto tu-dooo.

Atenção, spoiler….. ativar em 3, 2, 1….

Bom, para começar, vamos reconhecer que nós humanos acreditamos piamente que o envelhecimento do nosso corpo físico é obrigatório, ou seja, acreditamos que todos passaremos por isso inevitavelmente. Os guias angélicos fofos, no entanto, dizem que não é assim não, viu?

O nosso corpo foi criado para regenerar-se constantemente (dá uma olhadinha no artigo de 3 partes que escrevi aqui sobre a Medicina do Terceiro Milênio), ou seja, para não ter que arcar com nenhuma espécie de processo degenerativo. No entanto, essa crença no envelhecimento tem se arraigado desde a destruição das civilizações da Atlântida e da Lemúria. O nosso corpo humano ainda é plenamente capaz de se regenerar e se recuperar de doenças, porém é a nossa crença que sempre irá definir o que nos acontecerá na vida, não é mesmo?

Muitas pessoas como eu têm procurado um antídoto contra o envelhecimento. No entanto, precisamos nos dar conta de que tal antídoto maravilhoso não pode ser encontrado num frasco, num potinho ou na forma de uma pílula — o antídoto está dentro de nós.

Pois é, eu também já sabiaaaaaa…..essa é a forma mais difícil de tratamento, você não acha?

É nada, os guias nos mostram nesse texto que é facinho, facinho, olha só…bora entender. Você sabia que nós todos criamos um corpo totalmente novo a cada 10 anos? Pois é assim. As células que constituíam nossos ossos, músculos, órgãos e tecidos 10 anos atrás já foram todas substituídas. Sim, TODAS ELAS.

Então por quê cargas d’água ainda assim envelhecemos?

Resposta dos guias: porque queremos, ou porque assim acreditamos que deve ser.

Tomemos um mísero exemplo: sabe aquela cicatriz que você tem aí desde 1900 e bolinha? Todas as células dela se regeneraram perfeitamente e todas elas provavelmente já foram substituídas por outras novinhas. Então por quê a cicatriz ainda está aí, ó raios?

Resposta dos guias: porque continuamos a criá-la infinitamente. Nossas crenças nos dizem que, para sermos humanos, temos que ostentar as cicatrizes de acidentes passados, então as células novas já são criadas na forma de cicatrizes. Nós temos o poder pleno de criar novas células que não reproduzam as cicatrizes, depende exclusivamente de nós.

As civilizações da Atlântida e da Lemúria sabiam que seus corpos físicos foram criados para durar por muito tempo. A estimativa de vida de então era de 500 anos, pelos menos, antes do corpo começar a pensar em deteriorar-se. Os corpos eram constituídos exatamente como os nossos, porém tais civilizações não acreditavam que as pessoas pudessem envelhecer. No nosso caso, atualmente supomos que a estimativa de vida de um adulto na Terra seja de 75 anos, aproximadamente, o que é bastante, se considerarmos a população média de 200 anos atrás. Contudo,  ainda estamos muito distantes de vivermos várias centenas de anos…e sem demonstrar sinais de degeneração. Nossas crenças comuns a respeito de quanto tempo uma pessoa é capaz de viver também estão mudando, pois atualmente já achamos aceitável vivermos o dobro da idade que um ser humano vivia apenas há alguns séculos. E a cada nova geração nos estendemos nessas estimativas.

Obviamente, tendemos a justificar que a razão para tais mudanças repousa nos avanços da tecnologia e cuidados com a nossa saúde, né? Só que não. Os guias afirmam que foi devido às alterações que fizemos em nossas crenças e percepções acerca da nossa forma humana que nos permitimos criar tal tecnologia e cuidados com a saúde. E sim, chegará um momento em que não mais envelheceremos. Por ora, os guias afirmam que viveremos muito mais do que antigamente se registrou na história da humanidade e em pouco tempo, a nossa estimativa de vida será de 150 anos. Ainda, a ciência e a tecnologia continuarão a trabalhar em conjunto para reverter os sinais do tempo fictício, mas…..os guias avisam que as nossas crenças coletivas é que dão o aval para que as descobertas e avanços dessa ordem aconteçam, e não o contrário. Mas vai chegar o tempo em que nós próprios seremos capazes de prevenir, a partir das nossas crenças, que o processo de envelhecimento aconteça.

Você já se perguntou então por quê nós temos que morrer, já que os nossos corpos podem se regenerar totalmente? Pois é, eu também. O fato é que nós precisamos de um “reset”, segundo os guias angélicos, de forma que possamos sair dessa “configuração”para reencarnarmos em outras dimensões e desfrutarmos de outras experiências, outros desafios e outros relacionamentos partindo de um outro tipo de configuração.

Nas dimensões mais elevadas, os seres não experimentam a morte como nós aqui na 3a e 4a dimensões. Na verdade, ao invés da morte de seus corpos físicos, os seres mais elevados simplesmente retiram o foco de sua energia de determinada realidade quando acreditam que já experienciaram tudo o que gostariam ali. Simples assim: eles só mudam o foco de sua atenção para outras inúmeras realidades de que já fazem parte. E mais, eles não entendem a morte como sendo uma ocasião “triste”, mas sim como motivo de celebração como um aniversário. E eles de fato a comemoram. Parece esquisito, né? As pessoas geralmente choram tanto a “perda”de seu entes queridos…mas nas dimensões mais elevadas, todos sabem que nunca se desconectam de ninguém, pois são livres para se conectarem com seus entes queridos quando assim o desejarem. Os guias explicam que a morte para eles parece a nossa cerimônia de graduação na universidade, em que o aluno já aprendeu tudo o que se propôs aprender naquele campo de estudo e então está pronto para assumir um outro tipo de experiência. Ninguém chora porque o aluno deixou os colegas de faculdade e partiu para outra etapa na vida, né? Todos ficamos felizes porque ele conseguiu aprender tudo aquilo e já pode partir para outra… e também ninguém fica achando que o aluno que se formou deixa de existir na vida só porquê não está mais na faculdade, né? Pois então, é assim que é vista a morte nas dimensões superiores. E faz o maior sentido, não acha?

Mas voltemos à vaca fria: como é que podemos mudar as nossas crenças em relação ao processo de envelhecimento que é, na verdade, opcional?

Resposta simples: espere continuar jovem com o passar do tempo, já que o tempo é em si é uma criação humana — ele não existe. Assim, nós não precisamos acreditar que vamos envelhecer, ué…nós humanos adoramos, na verdade, tornar as coisas muito mais complicadas do que são.

Contudo, os guias angélicos reconhecem que para nós pode ser difícil dar esse salto na nossa consciência e simplesmente pararmos de envelhecer da noite para o dia. No entanto, se faz mister reformatarmos nossas crenças a respeito do envelhecimento: quantas pessoas que têm a mesma idade que nós parecem mais velhas e outras mais jovens? O responsável por essa variação é o sistema de crenças que elas adotam. Suas crenças, portanto, determinam como elas experimentarão o processo de envelhecimento: algumas pessoas envelhecem de forma graciosa, mantendo suas capacidades cognitivas inalteradas, enquanto outras experimentam a velhice antes mesmo de terem “idade”para isso. A nossa ciência já pode atestar que o processo de envelhecimento não tem nada a ver com a linhagem genética do indivíduo ou com a deterioração genética de suas células, mas sim com a expectativa que ele tem em relação à sua vida.

Quais são as suas crenças a respeito do envelhecimento? Quantos anos você aparentará quando experimentar os sintomas do envelhecimento? Você espera ter muitas rugas quando tiver mais idade e problemas de locomoção ou acha que continuará com a mesma vivacidade e energia de sempre?

Nossas crenças não podem ser segredo, uma vez que elas estarão sempre estampadas em nossos corpos.

Assim, pergunte-se agora: por quanto tempo você quer continuar jovem?

Texto e tradução meus, Flavia Criss.

Alameda, Califórnia, 5 de Dezembro de 2016.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s