Amo e honro tudo em que creio

Um homem começou um negócio e um ano mais tarde, descobriu que não gostava. Não tinha previsto as longas horas de trabalho, a falta de dinheiro nem o tipo de pessoas com as quais teria que tratar. Desejava ter feito outra coisa. Começou a faltar no escritório, não respondia aos telefonemas  e já que o negócio não ia bem, estava a cada vez mais endividado. O aumento de suas dívidas deixava-lhe com cada vez menos opções em seu trabalho e em sua vida privada.

Um dia, um amigo disse-lhe “Não podes te livrar de nada se não o amas” e ele, desesperado, decidiu tentar amar a seu negócio. Começou a responder aos telefonemas, passar mais tempo com os clientes e melhorar a situação de sua empresa, organizando seus arquivos, empregando procedimentos de corte de despesas e poupança de tempo, etc. Ao cabo de dois meses, a companhia começou a ter ganhos e, dentro de um ano, tinha dinheiro suficiente para começar um novo negócio em um campo mais de seu agrado. Já que amou a sua primeira empresa, as coisas foram bem e se ganhou uma boa reputação, podendo vendê-la com importantes benefícios.

Desprendo-me das coisas com  facilidade, sabendo que nada sai de minha vida se não for substituído por algo melhor.

Como Criar Dinheiro, p. 72.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s