O SILÊNCIO PROPORCIONA RIQUEZA

Robert Louis Stevenson praticava o silêncio regular e sistematicamente e tinha o hábito persistente de, no silêncio da noite antes de dormir, transmitir instruções específicas ao seu subconsciente. Com a atenção divorciada do mundo sensorial exterior e voltada para a sabedoria e poder do subconsciente, solicitava deste último que, durante o sono, lhe proporcionasse as histórias de que necessitava. Por exemplo, quando a sua situação financeira era desfavorável, enviava ao seu subconsciente um comando deste tipo: “Proporcione-me uma boa e emocionante novela, que seja também comerciável e rendosa”; a resposta era geralmente bastante generosa.

Dizia Stevenson: “Esses pequenos duendes (a inteligência e os poderes do subconsciente) podem contar-me uma história, capítulo por capítulo, como se fosse um filme seriado, e conservar-me, seu suposto criador, na mais total ignorância do seu desenvolvimento futuro”. E acrescentava que “a parte do meu trabalho que é feita quando estou acordado não é necessariamente minha, pois tudo leva a crer que os duendes tiveram participação nela”.

O SILÊNCIO O FEZ FAMOSO

Kahlil Gibran, o escritor de “O Profeta”, não somente deliberava no silêncio da noite, em comunhão interior com Deus, irradiando amor, paz, alegria e satisfação, como também contemplava a sua própria radiação, luz, amor, verdade e beleza interiores, transmitindo à humanidade a riqueza das suas meditações em seus silêncios com Deus. Gibran voltava-se freqüente e interiormente para Deus, o Bom e o Belo, e escrevia: “Sou um devoto dos Silêncios e os tesouros que ali encontrei posso distribuí-los com confiança”.
Gibran obtinha sabedoria, verdade e beleza das fontes inesgotáveis existentes em seu íntimo. No silêncio da noite e em sintonia com o Ser Infinito, recebia inspiração do Altíssimo e escreveu gemas maravilhosas de sabedoria, que o fizeram famoso e também bastante rico.

O SILÊNCIO E UMA EXPERIÊNCIA EMOCIONANTE

Meu alfaiate contou-me uma história emocionante ocorrida com sua filha. Ao voltar de um desfile de modas de que participara, em Nova York, ela dissera ao pai: “Vi hoje, no desfile, um bonito casaco de arminho que custa oito mil dólares. Sei que não posso comprá-lo, mas vou fazer de conta, em minha mente, que ele é meu. Como gostaria de possuí-lo!”
Seu pai disse-lhe, então, que imaginasse estar vestindo o casaco, que procurasse sentir a sua pele macia e o próprio casaco como se realmente o estivesse vestindo. Assim fez ela, acariciando-o e admirando-o, em sua mente, como uma criança faz com sua boneca, até vir a sentir, pela repetição, uma emoção estranha. No silêncio da noite, se imagina indo dormir “vestindo” aquele casaco e sentindo-se feliz por “possuí-lo”. Um mês se passou e nada aconteceu. Ela estava a ponto de desistir, quando se lembrou de que só a perseverança produzia resultados. “Aquele, porém, que persevera até o fim, esse é que será salvo”. (Mateus 10:22).
A seqüência do seu drama mental foi a seguinte: uma manhã de domingo, após minha prelação, um homem pisou acidentalmente no seu pé e pediu-lhe muitas desculpas, oferecendo-se finalmente para levá-la de carro até a sua casa, o que ela aceitou prazerosamente. Após um conhecimento relativamente curto, ele veio a lhe propor casamento, deu-lhe um bonito anel de diamantes e disse-lhe: “Vi um casaco maravilhosamente bonito, com o qual você ficaria simplesmente radiante”. Era justamente o casaco que ela admirara um mês antes. O vendedor disse-lhes que muitas senhoras ricas o haviam admirado imensamente mas por alguma razão sempre escolhiam uma outra coisa.

1001 Maneiras de Enriquecer, p. 128.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s